{Série} Gilmore Girls

Em 27.09.2016   Arquivado em Séries

Oie! Acredito que muitos de vocês já conheçam essa série. Na verdade, a primeira vez que eu vi eu era bem nova, e se não me engano passava no SBT como Tal mãe, tal filha. Mais tarde, quando pude ter TV paga, comecei a assistir pela Warner, mas parou. Nunca tinha chegado a realmente ver todas as temporadas em ordem, porque assim como o SBT fazia, a Warner também fazia: depois de um certo tempo, voltava pro início ou começava a passar episódios aleatórios. Por isso, agora que ficou disponível no Netflix (agora não, foi em julho, se não me engano) eu comecei a ver tudo de novo, em ordem, no meu ritmo, quando um tempinho surge no meio do caos (já estou no final da 6ª temporada).

Pra quem não conhece, a série conta a história das mulheres da família Gilmore: Emily (avó), Lorelai (mãe) e Rory (filha). A família Gilmore é da alta sociedade e se viu perdida quando sua filha única, Lorelai, apareceu grávida aos 16. Para consertar o erro, seus pais quiseram que ela casasse com o namorado, Christopher, que no final das contas amava tanto ela que gostou da ideia. Mas Lorelai não se sentia preparada pra casar aos 16, não queria ser forçada a casar e ter uma vida que não era a dela. Ela não queria cumprir as regras da alta sociedade e “viver em cativeiro”. Por isso, assim que sua filha nasceu ela fugiu dos pais sem deixar rastro com a filha nos braços e nenhum dinheiro no bolso. Foi para uma cidade do interior, Stars Hollow. Lá, ela pediu abrigo em um hotel, começou trabalhando de camareira pra ganhar a vida e pagar as contas. E assim viveu por muitos anos.

A história da série começa com a filha, Rory, com os exatos 15 pra 16 anos, idade em que a mãe ficou grávida. As duas vivem em um mundinho só delas, com muitas piadas internas, muito amor. Elas são as melhores amigas uma da outra e Lorelai criou Rory exatamente como gostaria que tivesse sido criada: com muito amor, amizade, compreensão e um ambiente totalmente favorável pra ter qualquer tipo de conversa. Rory é o orgulho da mãe, que não foi pra faculdade. Mas a filha é inteligente e quer ir pra Harvard, e por isso passa pra melhor High School das redondezas: Chilton. Sem dinheiro pra pagar, Lorelai recorre aos pais e eles a chantageiam com o dinheiro da escola em troca de jantares semanais. A partir daí se desenrola toda a história.

A série conta com 7 temporadas (2000-2007) de mais de 20 episódios cada um. Dá um total de exatos 153 episódios. Além disso os episódios são grandes, tipo 40 min, que na TV passariam como 1 hora de programa. É uma maratona e tanto pra quem quer entrar nessa. Mas sinceramente, vale a pena, é muito legal.

Engraçado que no começo eu me identificava mais com a Rory, em certa altura da maratona eu me identificava mais com a Lorelai e muitas vezes chorei com a Emily. Como é que eu consigo ser um pouco de cada uma das Gilmore Girls? Rs… Isso só pode me dizer que a série foi muito bem escrita e todos os personagens estão muito bem construídos. Eu acredito que você também vá se identificar com todas elas.

Uma observação: No dia que eu conseguir assistir Gilmore Girls sem legenda com aquela velocidade de abobrinhas que Lorelai e Rory conseguem dizer por minuto eu realmente vou me considerar fluente. Rs…

A família Gilmore

gilmore
Emily – Kelly Bishop
Lorelai – Lauren Graham
Rory – Alexis Bledel
Richard – Edward Herrmann

Namorados de Lorelai


Christopher – David Sutcliffe
Max – Scott Cohen
Jason – Chris Eigeman
Luke – Scott Patterson

Namorados de Rory


Dean – Jared Padalecki
Jess – Milo Ventimiglia
Logan Huntzberger – Matt Czuchry

Revival: Um ano para recordar

Apesar das 7 temporadas, a série foi cancelada sem um fim, ou seja, não era o fim que os autores queriam. Por isso, agora em 2016, mais precisamente em novembro, o Netflix vai liberar o que eles estão chamando de Revival. Serão 4 episódios de 90 minutos para dar os desfechos necessários que não aconteceram. Essa notícia tem causado muito alvoroço aos fãs, porque eles estão gravando tudo para 4 episódios novinhos em folha. E não é esse o sonho de todo amante de série que se vê desolado quando alguma coisa termina sem realmente terminar?

Se você é fã como eu, é uma oportunidade única pra aquietar seu coração e saber o final dos personagens.

E se você não assistiu ainda, tem até novembro pra fazer uma maratona de Gilmore Girls e estar preparado pro Revival. 😉

{Livro} O que te move? – Fernando Moraes

Em 24.09.2016   Arquivado em Livros

Ficha Técnica

Título: O que te move?
Autor: Fernando Moraes
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581637587
Páginas: 160
Categoria: Auto-ajuda

Sinopse: “Movimentar-se para não ficar aprisionado à zona de conforto é um dos grandes desafios nos tempos modernos. Quando a abundância impera, certamente a visão de futuro fica mais comprometida, por isso se faz necessário nos movermos para ter propósitos, sonhos e esperança de dias melhores.

Saindo do estado conformista, que anula as possibilidades e nos imobiliza por causa do imediatismo, ser protagonista é mais do que ser o ator principal de tudo aquilo que envolve a nossa vida. Ser protagonista é colocar o coração no sofrimento do outro, renunciando a zona de conforto em função de quem precisa de nós.

Movimentar um sonho, uma causa, um ideal ou um propósito de vida nos permite despertar para novas oportunidades, aflorando talentos, habilidades, dons e potenciais, nos dando confiança e coragem para seguir em frente.

Neste livro, Fernando Moraes o convida a se mover em busca de novos desafios, a ter atitudes que inspiram grandes transformações e, o mais importante, que nos dê a certeza de que podemos fazer e refazer novos caminhos em busca da nossa felicidade.

O que te move é o que te inspira!”


Minha classificação:

Minha opinião: Quero começar pela capa bem viva que esse livro tem, estou apaixonada pela tranquilidade que a imagem passa ao leitor e também um toque de “mistério”, porque para quem não conhece o autor (como eu) pode pensar que é um livro de ficção com algum ensinamento bem marcante (assim como eu pensei). Bom, O que te move? tem um ensinamento marcante, na verdade vários, mas não é um livro de ficção. Muitos podem considerar auto-ajuda ou motivacional, e até tem um pouco dessas características, mas com certeza é um livro de reflexão com histórias emocionantes.

O que te move? foi uma cortesia muito linda da Novo Conceito, que a propósito arrasou na diagramação e fonte dos títulos, e é narrado em primeira pessoa. É um livro inspirador e que me fez refletir a todo momento sobre o meu papel na sociedade, meus valores sociais e como posso melhorar. Fundamentado em valores filosóficos e conhecimento real, o livro é extremamente importante para a formação de cada pessoa. Traz todos os princípios mais importantes para viver na sociedade, conceitos que definem o caráter do próximo e atitudes valiosas.

Hoje em dia, é muito fácil ajudar ou participar de ONGs em busca de reconhecimento e gratificação, ou pior, o ajudar às vezes nem existe. Mas, por que REALMENTE devemos fazer isso? Qual é o nosso papel? Fernando Moraes, escritor e humanista que já realizou muitos trabalhos voluntários e sociais, nos faz refletir por meio de experiências pessoais sobre o nosso protagonismo social. Nesse livro, ele nos instiga a pensar sobre quem nós somos e como podemos definir o que nos move a agir. Ele, como grande conhecedor na área, ensina sobre o SER humano.

Algo que gostei muito no livro é a composição de histórias pessoais do autor que ensinam e inspiram. Não é um livro de ideias para ONGs e grupos de ajuda humanitária e não é um manual de instruções sobre como “ser bom”, trata sobre o despertar do verdadeiro trabalho voluntário, do olhar mais atento a condição do outro e do conceito de cidadania. Cada um interpretará a sua maneira e refletirá sobre o que está fazendo para SER humano. Super recomendo a leitura!


Alguns trechos do livro:

“O protagonismo social não é uma ação individual, ele depende de como um grupo se organiza e interage entre seus membros e com os outros. Protagonizar ações em benefício do bem-estar social tem na sua essência o fazer parte […] sentir-se responsável por seu espaço social e por tudo que nele habita.”

“Mais do que o tecnicismo, os títulos, as formações e as grandes qualificações, se faz necessário ter disposição para servir o seu semelhante, pois o servir é a essência do despertar da dignidade e do reconhecimento do outro como igual, sem qualquer pretensão.”

“Fique atento à vida. Faça, ouse e busque. Mas, acima de tudo, não ouça ninguém sem ter antes escutado o seu coração.”

{Livro} As letras do amor – Paula Ottoni

Em 20.09.2016   Arquivado em Livros

Ficha Técnica

Título: As letras do amor: Ela foi mais longe para descobrir o amor tão perto
Autor: Paula Ottoni
Editora: Novo Conceito
ISBN: 978-85-81638430
Páginas: 224
Categoria: Romance

Sinopse: “Bianca acabou de largar um curso de graduação de que não gostava, seus pais vão se divorciar e seus irmãos pequenos estão cada dia mais barulhentos.

A oportunidade perfeita de escapar surge quando seu namorado, Miguel, resolve ir a Roma abrir uma empresa para o pai. Bianca decide que aprender italiano, arrumar um trabalho temporário e ajudar Miguel em seu negócio será um bom começo.

O que parecia um sonho, porém, torna-se uma incerteza ainda maior quando Miguel fica sempre fora de casa, os empregos de Bianca não duram mais que uma semana, e, cada dia mais próxima de Enzo – o melhor amigo de Miguel, com quem moram –, ela começa a questionar seus sentimentos.

Perdida em conflitos amorosos e angustiada por não saber o que será de sua vida ao fim daqueles seis meses, Bianca passa por uma série de situações de crescimento pessoal que vão testá-la e ajudá-la a descobrir o que fazer com o futuro, que vem chegando depressa demais.”


Minha classificação:

Minha opinião: Quero começar falando uma coisa pra vocês: eu já li muitos livros na vida, e algumas vezes os livros perdem um pouco a graça pra mim porque eu descubro os finais logo de cara. Não foi o caso com esse. Eu fiquei sem saber como ele terminaria até ela realmente revelar o que iria acontecer!!! Então, vamos começar dando crédito pro livro… Rs…

Tendo dito isso, vamos fazer o curso normal das minhas observações. A capa do livro é linda, realmente o pessoal responsável por isso na Novo Conceito é fera. E a capa é a embalagem, não é? E eles acertam sempre. A Paula Ottoni é novinha, era primeiro livro que eu estava lendo dela, então não sabia muito o que esperar. Mas ela tem talento. É claro que com o tempo passando a escrita vai amadurecendo e os temas vão se modificando também, mas ela realmente tem talento pra coisa.

A narrativa do livro é em primeira pessoa. Isso ajuda muito a criar todo o mistério, porque ao contrário de um narrador que está de fora da história e você vê por vários ângulos, quando você narra em primeira pessoa você só tem a visão daquela personagem. Então sinceramente eu morria de curiosidade pra saber o que se passava com as outras pessoas quando não estavam perto de Bianca, a protagonista e narradora.

Como protagonista, o livro conta a história de Bianca, que largou a faculdade porque não gostava do curso e está com a vida toda de cabeça pra baixo. Sem faculdade, sem carreira, os pais se separando e brigando o dia inteiro e com dois irmãos mais novos barulhentos, ela não sabe muito o que fazer da vida. Ela tem uma melhor amiga Mari (aiiii… nunca vejo meu nome em livros, então fiquei feliz :) ) que é doidinha mas gosta muito dela e ela pode sempre contar. No meio desse caos, Mari é um refúgio pra ela. E Miguel, seu namorado, também. Acontece que Miguel está indo pra Itália abrir uma filial da empresa dos pais e ele quer provar que está crescendo e que é adulto de verdade, que o pai pode confiar nele. Miguel convida Bianca pra ir pra Itália com ele, e ela aceita.

Lá na Itália, em Roma, os dois vão morar na casa de Enzo, um dos melhores amigos de Miguel. Enquanto Miguel está trabalhando, ele espera que Bianca seja sua bonequinha de porcelana que fica esperando o namorado chegar em casa com a comida pronta. Mas ela não tem essa visão. Bianca entra num curso de italiano para aprender a falar a língua e logo arruma um empego temporário pra poder fazer uma graninha pra ajudar nas despesas. Aí começa a treta: Miguel trabalha muito, quase não está em casa, enquanto Enzo sempre está fazendo companhia pra Bianca; Miguel dá uns surtos e sai de noite, bebe todas e chega em casa de manhã podre de bêbado, Enzo por sua vez fica jogando videogame com Bianca e a leva pra passear e fazer trabalho voluntário no hospital. Todo o cenário fica favorável pra que Enzo e Bianca se apaixonem, e aí começa o triângulo amoroso do livro.

Uma crítica apenas: o título e subtítulo do livro. Simplesmente porque eu não vejo ligação com a história nem com o que acontece. Não posso opinar mais fortemente a respeito porque não quero dar spoiler, mas realmente não concordei. Rs…

Tirando isso, e algumas partes que eu achei desnecessárias e poderiam ter sido cortadas sem causar muita diferença, o livro tem uma trama bem feita, é tipo Bella e Edward em Crepúsculo, que você nunca sabe com quem a Bella vai ficar.


Alguns trechos do livro:

“Miguel foi a minha primeira escolha, e talvez minha vida pudesse ser uma pilha de erros que surgiram dela. Ou eu poderia escolher o caminho alternativo, Enzo, e enfrentar as dificuldades.”

“Seus lábios estão sorrindo. Não sei por que, mas algo em meu modo de agir e falar sempre o faz mostrar esse sorriso.”

“Olhando para Enzo ali, quase chego à conclusão de que estou apaixonada. Isso me apavora.”

Princípios montessorianos para a educação do seu filho

Em 13.09.2016   Arquivado em Maternidade

Rodrigo vai fazer 3 anos agora em outubro, e essa faixa etária que ele está, dos 2 aos 4, é a fase mais importante para a educação, pois é aonde você causa os traumas mais profundos que vão seguir com ele pro resto da vida. Por esse motivo, eu tenho tido um cuidado redobrado com ele.

Há algum tempo eu venho pesquisando sobre educação montessoriana e tenho gostado bastante do que tenho descoberto. Essa semana que passou eu vi essa lista sobre os 15 princípios básicos da técnica ou estilo montessoriano de educar os filhos e achei fantástico. Concordo com todos os tópicos. Por isso, estou colocando pra vocês aqui.

1) Lembre-se sempre de que a criança aprende com o que está ao seu redor. Seja seu melhor modelo.

2) Se você critica muito o seu filho, a primeira coisa que ele aprende é julgar.

3) Por outro lado, se você o elogia regularmente, ele vai aprender a valorizar.

4) O que acontece se você mostrar a sua hostilidade à uma criança? Ela vai aprender a brigar.

5) Se for ridicularizada com frequência, a criança se tornará uma pessoa tímida.

6) Ajude seu filho a crescer se sentindo seguro em todos os momentos, e ele aprenderá a confiar.

7) Se você menospreza o seu filho frequentemente, um sentimento muito negativo de culpa irá se desenvolver nele.

8) Faça seu filho ver que as ideias e opiniões dele são sempre aceitas, assim, ele se sentirá bem consigo mesmo.

9) Se a criança vive em uma atmosfera onde se sente cuidada, integrada, amada e necessária, aprenderá a encontrar o amor no mundo.

10) Não fale mal de seu filho nem quando ele está perto e nem quando está longe.

11) Concentre-se no fato de que seu filho está crescendo e se desenvolvendo da melhor forma possível. Valorize sempre o lado bom da criança, para que nunca haja espaço para o mal.

12) Sempre ouça ao seu filho e responda quando ele se aproximar de você com uma pergunta ou um comentário.

13) Respeite seu filho, mesmo que ele tenha cometido um erro. Apoie-o e corrija-o, agora ou talvez um pouco mais tarde.

14) Você deve estar disposto a ajudar seu filho se ele estiver a procura de algo, mas também deve estar disposto a deixá-lo encontrar as coisas sozinho.

15) Quando falar com o seu filho, faça-o sempre da melhor maneira. Ofereça a ele o melhor que há em você.

Maravilhoso, não é? Estou com vontade de fazer um quadro e colocar no meu quarto, pra eu não me esquecer.

Algumas frases de Maria Montessori

“Quando uma criança se sente confiante, ela deixa de buscar a aprovação dos adultos a cada passo.”

“Ajude-me a agir por mim mesmo.”

Página 1 de 14212345... 142Próximo