A minha alma gêmea! S2

Em 21.07.2013   Arquivado em Relacionamento

Estava passeando por aí e encontrei um post bem legal, no qual fiquei inspirada!
O post é da Mônica: “Com quem você quer envelhecer?”
Ele fez eu refletir sobre meu passado, minhas experiências, meus aprendizados de cada dia e meu casamento. Post maravilhoso mesmo! Vale a pena conferir…

Bom, eu sempre fui bem namoradeira. Nunca fui dessas de ir pra festas e ficar com um monte de homens, isso não. Mas comecei a namorar cedo, com 15/16 anos. Tive muitos namorados, de muitos estilos diferentes: alto, baixo, gordo, magro, moreno, branquelo, esportista, rockeiro. Fui noiva 2 vezes. Não me considero a mais madura e experiente das mulheres, mas sinceramente o fato de eu ter namorado bastante me fez aprender muitas coisas ao longo dos meus anos, e quando eu encontrei meu marido, eu sabia que ele era o certo, era com ele que eu queria envelhecer.

Você pode estar me achando maluca por falar essas coisas. Talvez se ele ler isso, também vai achar. Sim, porque fui eu quem o escolheu, e não o contrário. E batalhei por ele. E consegui. E enquanto ele começava a me ver com olhar diferente eu já pensava no casamento e em como ele seria bom pai. As mulheres desesperadas imaginam isso com todos os homens que piscam pra ela, a focada só faz a previsão do futuro com aquele que ela vê o potencial.

O fato é que não existe homem perfeito. Não adianta você fazer uma lista interminável de qualidades e atributos que você espera em um homem (acredite, eu tenho uma lista dessas guardada até hoje!). Nunca nenhum homem vai corresponder todas as qualidades da sua lista. E acho que se um dia você encontrasse algum que correspondesse, ia achar o cara um porre e meloso. O que precisamos é focar nas qualidades mais importantes, e observar bem os defeitos, pra saber se você pode conviver com eles. Uma pessoa mais velha e muito sábia me falou uma coisa que eu nunca me esqueci: “No namoro, abra bem seus olhos, veja tudo de bom e de ruim! No casamento, feche seus olhos, mas só pras coisas ruins!” E é bem por aí. Nós mulheres temos a tendência de achar que namoro é só flores, estamos no começo do relacionamento, ficamos flutuando nas nuvens, sonhando com o casamento. Aí na hora que casa, o cara não é bem aquilo que você imaginou como marido. Deixa pra flutuar nas nuvens depois que casar, aproveita seu namoro pra olhar algumas coisas bem importantes:

Como ele trata a família

Hoje você namora com ele, gata, mas daqui a 5 anos você gostaria de ser tratada como ele trata a mãe dele? Se a resposta é sim, ótimo. Se a resposta é não, abra seus olhos!

Como ele trata os estudos e trabalho

Não adianta dizer que você é uma mulher independente. Quando se casa, tudo é junto! Se ele larga os estudos, não dá importância ou não se esforça, ou se troca de emprego como criança troca de time, isso é um alerta bem grande! Pensa no futuro e em você tendo que cuidar da casa, dos filhos, das finanças, e o marido em casa sem fazer nada. Ok, se ele se esforça mas precisa de um apoio, conselho, tudo bem, você pode ser o apoio pra que ele deslanche. Mas se ele tem a tendência de não querer crescer na vida, não tem ambição, se toda hora é mandado embora, sai fora!

Como ele lida com o dinheiro e como lidaria no casamento

Homens descontrolados tendem a fazer uma família inteira descontrolada financeiramente. O cara precisa saber gastar o dinheiro, saber poupar, ter consciência de até onde pode ir. É preferível casar com o pão duro do que com o descontrolado. Afinal de contas, quando acontecer uma emergência, o pão duro sempre tem um dinheiro guardado.
E muito importante também é saber se casados, ele aceitaria fazer as finanças juntas. Quantos casamentos eu já vi com sérias crises e mesmo se desfazendo por causa de grana! Marido que não conta pra esposa quanto ganha, um esconde dinheiro do outro… Isso não é companheirismo! Casamento de verdade, tudo é de todo mundo, porque é uma família! Se ele já fala pra você que nem quer fazer uma conta conjunta, imagina se um dia você ficar em casa cuidando do filho! Vai ter que implorar por 10 reais pra comprar uma calcinha! É ruim hein… Ninguém merece isso…

Como ele reage a uma situação difícil

Ok, ele está passando por uma situação de grande estresse no trabalho. Ou alguém faleceu. Como ele reage? Ele só fica reclamando, diz que vai desistir de tudo, fica deprimido e perde o período da faculdade? Ou ele, mesmo com a dificuldade, luta pra conseguir continuar? Ele briga com a mãe e faz as malas pra passar o final de semana com você? Se o cara é depressivo, dependente, tem a mania de desistir nas situações de estresse, você acha que ele vai aguentar um casamento pela vida toda? A tendência é que ele desista, assim como faz com tudo na vida dele! Mas se por outro lado ele sempre foi do tipo que luta mesmo nas horas do aperto, a probabilidade de você ter alguém do seu lado que lute junto com você pro casamento continuar é bem maior.

As opiniões dele sobre coisas importantes a longo prazo: filhos, separação, religião, compra de casa e carro, aposentadoria

Ninguém pensa nisso, não é? Mas aí vai uma coisa que eu já vi destruir um casamento de longos anos: uma católica fervorosa casar com um ateu. Era briga todo domingo dentro de casa! E ele proibia a esposa de levar os filhos pra igreja. E desautorizava a esposa com qualquer ensinamento católico que ela quisesse dar em casa. Se você é católico, case-se com outro católico, se é evangélico case-se com outro evangélico e assim por diante! A vida a 2 já é tão difícil pra você dificultar mais ainda com um problema desnecessário!
Saber se a pessoa com quem você quer se casar quer ter filhos, quantos filhos, o que ele pensa sobre separação, como ele quer planejar a aposentadoria dele, qual o objetivo e planos pra comprar imóveis e automóveis também é bem importante. Casamento não são 2 roommates! São pessoas que precisam ter os mesmos objetivos pra poderem lutar juntos por eles!

“Poucas são as coisas que não conseguiremos realizar, se nos propusermos a fazê-lo de corações unidos.” (Gordon B. Hinckley)

Com que freqüência ele perdoa?

Seu namorado brigou com o amigo e afastou ele pra sempre da sua vida. Depois brigou com a mãe e ficou 1 mês em guerra dentro de casa. Entenda: você é a próxima. O orgulho é uma erva daninha na vida de qualquer um! Casamento é perdão a cada dia! É paciência com os defeitos da outra pessoa! Se seu namorado não consegue perdoar nem a mãe, imagina você.

Sinceramente, pra mim, esses são os pontos realmente importantes a serem observados. Achando uma pessoa que tenha resultado satisfatório nesse pequeno teste, realmente é uma pessoa boa pra você juntar seus trapinhos (desde que você também cumpra os mesmos requisitos ou esteja se esforçando plenamente pra cumprir). Depois disso, pra mim, não importa se tem olho azul ou castanho, se tem cabelo enrolado ou liso. É claro, precisa ser bonito aos meus olhos, despertar minha paixão, mas isso não é o principal.

Não faz a menor diferença se ele tem carro ou anda de ônibus, se ele te leva pra comer no Habib’s ou no Outback! Eu ando de ônibus até hoje com meu marido, mas prefiro ter um companheiro pra todas as horas que vai batalhar por cada vitória ao meu lado, a andar por aí de Corolla e na hora que precisar de consolo ouvir ele dizer na minha cara que eu tô de palhaçada. O príncipe encantado não existe! Alma gêmea não existe! O que existe são 2 pessoas que se amam e são comprometidas um com o outro e com o casamento, que querem fazer dar certo.

“O conceito de almas gêmeas é apenas ficção e ilusão. A verdade é que quase todo bom homem e toda boa mulher podem ter um casamento feliz e bem-sucedido.” (Spencer W. Kimball)

Mesmo com uma pessoa maravilhosa ao meu lado, devo dizer que nossos 2 primeiros anos de casados não foram fáceis! Tivemos muitas brigas, discussões, vontade de largar tudo e voltar pra casa da mamãe, tivemos muitos problemas financeiros. Mas por estarmos no mesmo barco e termos o mesmo objetivo, um foi ajudando o outro, e hoje podemos rir de algumas situações e ver como aprendemos a ser mais maduros com elas. E hoje temos outros problemas que eu espero da mesma maneira poder rir daqui a 3 anos. 😉


Um casamento que é um exemplo pra mim: Thomas e Frances Monson!
Casaram-se em 1948 e em 2012 você vê como ele ainda a olhava com um olhar apaixonado, como ele se preocupava em cuidar dela nas pequenas coisas, como empurrar sua cadeira de rodas. Neste ano (2013) Frances faleceu, e agora Thomas é viúvo. Mais de 60 anos de casamento!

  • Miriam Lins

    Em 21.07.2013

    Mari, excelente post!
    Estas linhas são um tipo de reflexão fundamental na construção de um relacionamento a dois! Nada a retocar, concordo com você em gênero, número e grau sobretudo na questão de ter em comum os objetivos de vida. É aquela frase do Antoine Saint-Exupéry que de tão bonita e divulgada acaba quase que virando um clichê, mas que é pura verdade…
    “Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção”

    [Reply]

    Mariana Cruz Reply:

    isso aí! olhar juntos na mesma direção 😉

    [Reply]

  • Miriam Lins

    Em 21.07.2013

    Hmmm.. Apenas complementaria com uma coisa, para que depois ninguém leia e comece a ficar desesperada porque os objetivos e visões não são 100% comuns… Acredito que não é que tenhamos que pensar igual ao outro o tempo todo, mas estarmos (e sabermos que o outro também estará) abertos ao diálogo e a concessões quando necessário. Penso que este seja o caso do que não houve no exemplo exposto, no qual o marido ateu desautorizava a educação religiosa dos filhos. O problema maior não foi a diferença, mas o fato de que não houve, ou não foi encontrado, um “caminho do meio” de modo que houvesse respeito mútuo em relação às expectativas de ambos. Fazer dar certo concessões deste porte não deve ser nada simples, mas acredito que seja possível se houver amor e respeito… 😉

    [Reply]

    Mariana Cruz Reply:

    mi, concordo plenamente com vc… mas especificamente neste ponto, onde tem o caminho do meio entre um ateu e um católico? eles acreditam e vivem coisas opostas! é questão de todo um modo de viver… mas já casaram sabendo disso, né?
    mas com certeza dá pra encontrar um meio termo pra quase tudo no relacionamento… eu e anderson não gostamos dos mesmos filmes, nem dos mesmos canais na tv, nem das mesmas músicas… mas vamos nos adaptando hehehehe
    bjos :)

    [Reply]

  • Gabi

    Em 21.07.2013

    Adorei o post, achei super válido para quem está meio perdida por aí. Sem querer me achar nem nada, lendo seu post em nenhum momento eu pensei “nossa, acho que vou ter que abrir meu olho com isso!”. Apesar de estarmos há relativamente pouco tempo juntos (2 anos) e ter toda aquela paixão ainda (que hoje eu considero muito mais amor do que paixão mesmo), tenho a certeza que quero envelhecer ao lado do meu namorado. Sei que coisas podem acontecer no meio do caminho, não somos isentos de nada e podemos nos separar por algum motivo, mas sei que vou lutar para ficar ao lado dele, assim como ele faria a mesma coisa por nós.

    [Reply]

    Mariana Cruz Reply:

    ownnnn *__*
    agarra eleeeeee! 😛
    bjos

    [Reply]

  • Mari

    Em 21.07.2013

    Faço das suas palavras as minhas. Assino totalmente embaixo.
    Beijos

    [Reply]

    Mariana Cruz Reply:

    😉

    [Reply]

  • Aninha

    Em 21.07.2013

    Mariana, adorei o post! Me identifiquei com muitas coisas que você citou nele. Atualmente estou solteira, mas passei por situações em que pude identificar esses potenciais “problemas” em relacionamentos passados! Realmente, não é fácil aceitar os defeitos do outro. Mas alguns são inaceitáveis, como o exemplo dos estudos e do trabalho. Espero um dia poder encontrar o meu companheiro! E merecê-lo, é claro! :)
    Beijos!

    [Reply]

    Mariana Cruz Reply:

    ihhhhhhhh… eu já quebrei taaaaaanto a cara!!
    é na tentativa e erro que a gente acha um cara que vale a pena de verdade! 😉
    bjinhus

    [Reply]