Butterfly Soul
Rascunho Literário
Guia para Mamãe de Primeira Viagem
BS no Youtube

Ei! Você aí sentado na cadeira preferencial!

Uma coisa que eu sofri muito na gravidez anterior foi a dificuldade de entrar num ônibus / trem / metrô e conseguir sentar. Não porque não tivesse um lugar preferencial, mas simplesmente porque as pessoas erradas sentam nessas cadeiras e não levantam pra quem deveria sentar!

Na outra gravidez eu trabalhava muito longe de casa, levava em média 2h pra chegar no trabalho, sofrendo amassada que nem sardinha em lata. Eu pegava um ônibus e as pessoas lindas e jovens estavam sentadas nas cadeiras preferenciais e não levantavam pra mim ou qualquer gestante / idoso / pessoa com criança que aparecesse. Eu fazia todo o trajeto com as pessoas me empurrando, apertando minha barriga. Meus pés latejavam com o inchaço e eu chegava no trabalho acabada, pensando que eu ia enfrentar a mesma coisa pra voltar no fim do dia. Muitas vezes eu chorava de raiva dessas pessoas e de medo de acontecer alguma coisa com meu bebê, mas não podia deixar de trabalhar. Em uma ocasião, a mulher sentada na cadeira preferencial pediu pra segurar minha bolsa e eu respondi: "Eu não quero que a senhora segure minha bolsa, eu quero sentar no lugar de gestante." Ela riu e falou que não ia levantar e foi o trajeto todo fazendo piadinhas, e eu me segurando pra não rodar a baiana.

Por causa dessa falta de educação das pessoas (pra quem mora no RJ sabe como os ônibus são violentos) em outra ocasião eu estava em pé como de costume, o motorista deu uma freada brusca e minha barriga foi em cheio no ferro do ônibus, não consegui me segurar a tempo. Fui parar no hospital e fiquei 15 dias de molho em casa com risco de perder o bebê.

Nesta gravidez, semana passada vivi algo parecido. Peguei um ônibus entupido pra ir ao médico e no lugar preferencial lá estava uma morena sentada, de óculos escuros e toda emperequetada. Eu parei em frente a ela, ela olhou pra mim e viu minha barriga. Achei que não precisaria falar nada, que ela iria se tocar e levantar. Mas ela virou pro lado e fechou o olho, começou a fingir que estava dormindo. Aquilo foi me dando um ódio por dentro, mas fiquei quieta. Por fim, o idoso sentado ao lado dela quis levantar pra ceder o lugar pra mim, vendo como as pessoas estavam me empurrando e apertando minha barriga, mas eu não aceitei. Eu não acredito na burrice das pessoas, em pensar que as cadeiras preferenciais são uma cortesia das empresas pras pessoas com necessidades especiais. Isso é lei! E a lei existe por "n" motivos:

– Um idoso em pé pode não conseguir se segurar em uma freada ou virada do ônibus, pode cair e sofrer um acidente;
– Uma pessoa com criança não tem como se segurar, segurar criança e segurar bolsa enquanto o ônibus está em movimento;
– Uma gestante corre risco de perder o bebê se as pessoas achatam a barriga dela contra os ferros do ônibus, ou ela pode não conseguir se segurar e bater a barriga no ferro, como aconteceu comigo.

Então eu não me segurei e falei isso pra ela, mas ela nem olhou pra minha cara. Continuou lá sentada e não me deu o lugar. Depois de mais de 1hr chegou o meu ponto, mas antes de descer eu tive que falar pra ela: "Querida, que Deus proteja você de não passar por isso quando estiver grávida. Porque se você passar, vai chorar lembrando de mim."

Acontece que educação vem de casa. Minha mãe sempre me ensinou a não sentar nas cadeiras preferenciais, salvo se eu estiver passando mal e não tiver nenhum outro lugar. Mesmo assim, ela sempre me disse que eu deveria levantar na hora se entrasse alguém com necessidade de sentar. E mesmo nos outros assentos, eu devo dar lugar pras pessoas mais velhas. Isso é educação! Nem deveria ser lei, sinceramente…

Esse tipo de coisa infelizmente me faz desacreditar no potencial tão lindo que elas têm… #ABSURDO

Fonte das imagens: Google

Metas para 2017
{Teatro} VeRo – Cia de dança Déborah Colker
Eu e minha mania de Hermione Granger

4 comentários
  • Mari

    Eu acho que todo mundo tem que levantar, independente se está ou não no banco preferencial. E é como você falou: educação vem de casa e as casas estão cada vez mais perdidas nas suas criações.
    Beijos

    [Reply]

    Mariana Cruz Reply:

    poxa… com certeza! mas infelizmente família e educação é uma coisa que está se fazendo extinta…
    bjos

    [Reply]

    Responder
  • Gisele

    Eu fico muito triste quando leio estas coisas, porque sei que é verdade.
    Quando eu andava de ônibus coletivo já presenciei muitas vezes isso e até cheguei a brigar com pessoas no ônibus defendendo uma grávida e outra vez uma senhora idosa. Não tem jeito, as pessoas não tem educação, semancol, é difícil mesmo e eu não compreendo o que passa na cabeça destas pessoas.

    Acham que nunca irão ter filho ou envelhecer? sei lá…

    Mas acredito que deveria haver uma "multa" para quem desobedecesse estes tipo de coisa. Ahh se deveria!

    [Reply]

    Mariana Cruz Reply:

    eh… infelizmente é triste mas acontece…
    se as pessoas tivessem educação nem precisaria de cadeira preferencial, qt mais de multa… mas as pessoas não têm… fazer o q
    bjinhus :))

    [Reply]

    Responder