Espaço da leitora: A história da minha gravidez – Família Santos

Em 23.04.2014   Arquivado em Maternidade

Mamãe: Priscila, 29 anos, psicóloga
Papai: Neal, 26 anos, autônomo
Bebê: Benjamim, 1 mês e meio

“Ao contrário do que sempre imaginei que seria, a gestação do Benjamim foi muito conturbada. Antes dela, eu já havia sofrido um aborto espontâneo com 9 semanas de gestação, e apesar de ter sido tão cedo, mexeu muito com nossa família, porque era um bebê planejado e desejado!

Quando engravidei do Benjamim, logo na primeira ultra descobrimos um descolamento de placenta, o que me afastou do trabalho por 30 dias! Fiquei em casa, com receio de fazer qualquer esforço! Tive muito medo de perdê-lo! Somando meus terríveis enjoos a uma situação triste que havia acontecido na minha família, entrei em depressão durante a gestação. Foi a pior experiência da minha vida!

Por ser psicóloga, sabia da gravidade da situação e logo busquei profissionais para me ajudar. Tive muito apoio de toda a família, em especial do meu esposo e da minha mãe, o que fez toda a diferença! Meu acompanhamento incluiu um excelente obstetra, um psiquiatra fofo e super humano, e minha formidável analista, que me acompanhou cuidadosamente até o Benjamim nascer. Hoje, vejo que este percurso foi de extrema importância na minha transição para tornar-me mãe!

Meus enjoos só passaram no sexto mês, e então comecei a engordar muito! Passei o último trimestre sofrendo com o calor de verão do Rio de Janeiro. Não tinha mais tornozelo! Meus pés pareciam duas bolas!

Mesmo com todos esses contratempos, continuei trabalhando em Itaguaí (um município no interior, a 68km do Rio de Janeiro) até o nono mês! Felizmente fui muito mimada e bem cuidada por todos da equipe! Tive meus desejos realizados, guloseimas, chá de fraldas, muitos conselhos de mães mais experientes. Um carinho indescritível que foi o melhor remédio para meus incômodos da gestação!

Com a chegada do Benjamim, minha rotina mudou muito! Primeiro: eu sempre gostei de dormir! Em qualquer horário do dia, tirava uma soneca. Em dia de folga, acordar cedo nem passava pela minha cabeça! Hoje, vejo as mil vantagens de acordar 6h da manhã e adiantar o almoço, por exemplo! Hehehe…

Como meu marido é autônomo, por enquanto ele tem trabalhado em casa, e passa o dia todo por perto. Ele se organizou pra ficar em casa durante todo o primeiro mês comigo. No início foi esgotante, mas agora já pegamos o jeito. Nos intervalos do trabalho ele me ajuda a cuidar do nosso filho. Ele virou meu parceiro constante e nosso sentimento de responsabilidade pela família aumentou muito! Temos muito mais cuidado com as coisas espirituais! Passamos a entender melhor o Plano de Salvação, e nosso propósito aqui na Terra e ficamos gratos por poder entender mais o propósito das famílias. Mas acredito que a maior mudança foi nosso amor um pelo outro: estamos mais pacientes e dispostos a fazer dar certo nosso casamento!

No meu caso (acreditem se quiser) planejei desde o ensino médio a minha profissão, para que eu pudesse conciliá-la com o cuidado dos meus filhos. Escolhi a psicologia, e mais tarde escolhi o concurso público que não me exigisse 40h semanais de jornada de trabalho. Cumpro 2 dois dias somente por semana. O retorno financeiro não é o mais interessante, mas posso complementar a renda familiar enquanto meu marido ainda se qualifica profissionalmente, e estar em casa com meus filhos. E por ser servidora pública, tenho outras regalias, como direito a 6 meses de licença maternidade. Além disso, minha coordenadora geral permitiu que acumulasse mais duas férias. Então, ficarei em casa 8 meses com o Benjamim, o que me traz um alívio enorme. Mesmo assim, a ideia de voltar a trabalhar ainda me parte o coração. Como meu marido pode fazer o horário dele, estamos considerando a ideia de que ele fique com nosso filho nos 2 dias em que trabalho. Ele tem demonstrado perfeito cuidado com ele, o que me deixa extremamente segura nesta ideia!

Vou ser sincera: o glamour da gravidez eu não conheci! Mas hoje, faria de novo. E de novo. E de novo. Só pra ter a chance de ter o Benjamim ao meu lado! Minha maior riqueza!

  • Si

    Em 23.04.2014

    Que depoimento lindo. Acho muito legal compartilhar essas experiências da maternidade, né? Acho que quando eu ficar grávida vou viver caçando esse tipo de postagem…rs
    Bjus e carinhos, fica com Deus.

    [Reply]

    Mariana Reply:

    hahahahaha eu qd tava grávida tb ficava caçando… normal 😛
    bjos

    [Reply]

  • Juliana

    Em 23.04.2014

    Estou amando ler os depoimentos ^^
    Linda essa história!

    [Reply]

    Mariana Reply:

    :3

    [Reply]

  • Rafa

    Em 23.04.2014

    Parabéns a Família Santos!

    Gostei muito desse espaço no blog.

    Acho muito interessante e lindo as infinitas declarações de amor que podem ser feitas a esses “pequeninos” que vem ao mundo nos alegrar.

    Amo as crianças. Serei eternamente grato a Deus por ter um anjo de 3 anos em minha casa. Sofia, nossa princesa, me traz sempre a perspectiva de que o mundo ainda é um lugar lindo de se viver.

    Um dia quero aumentar um pouco mais minha família, mas até lá é melhor eu aumentar meu salário…rs

    [Reply]

    Mariana Reply:

    rafaeeeeel… hehehehe… a pri é uma fofa e a família dela tb!
    sua família tb é linda <3
    espero que a sofia um dia namore o rodrigo hehehehehe
    bjos

    [Reply]

    Rafa Reply:

    Obrigado Mari.

    Só não gostei desse negócio de arrumar namorado pra Sofia! rs

    Namorado………
    Espero que ela não me dê trabalho com isso….
    rs

    [Reply]

    Mariana Reply:

    fala sério… deixa a garota namorar e pára de ser chato hahaha