Butterfly Soul
Rascunho Literário
Guia para Mamãe de Primeira Viagem
BS no Youtube

GMPV #02 – Escolha a dedo sua obstetra

gmpv2

Olá meninas! Estamos aqui de volta com mais um passo do Guia para mamãe de primeira viagem! <3 E depois do tão temido e necessário plano de saúde, o próximo passo é escolher um(a) obstetra adequada.

Não é incomum a gente ver muita mamãe na metade da gravidez sem ter uma obstetra definida, por N razões, e isso pode ser muito perigoso. Deixa eu explicar por quê.

A minha primeira gravidez não foi planejada (veio de surpresa com menos de 6 meses de casada) então eu não tinha feito toda aquela preparação pra chegada do bebê. Quando me vi grávida, não tinha ninguém pra me acompanhar, e uma amiga me indicou sua ótima gonecologista. Lá fui eu, já gravidinha, perdida igual a uma barata tonta. Essa cidadã que se diz médica logo de cara disse que não faria parto normal em mim, como eu sempre havia sonhado. O horário dela era todo programado. Tais e tais dias ela tinha consultório, tais e tais dias ela fazia os partos, e fim de semana era folga. Logo ali eu já fiquei chateada, porque eu queria poder escolher o parto normal. Mas não foi só isso. Quando eu perguntava sobre alguma coisa, ela me dava um folheto explicativo e mandava eu ler em casa, e se eu ainda tivesse alguma dúvida aí sim conversaríamos sobre aquele assunto. Claro que eu tinha dúvidas e queria perguntar, e ela me respondia secamente que aquilo estava no folheto. Comecei a ficar tão frustrada que decidi procurar outro médico. Fui a MUITOS ginecologistas-obstetras (GO), mas aí um ia viajar na data do parto, o outro também não fazia parto normal, o outro não aceitava meu plano, o outro só queria fazer o parto no Hospital X, que o meu plano cobria, ou não queriam me pegar pela metade da gravidez porque não sabiam como minha súde e a do bebê estavam e tinha medo de acontecer algo de errado (tem isso também, que eu desconhecia até então, eles não querem se comprometer se não sabem o real estado da gravidez). Todos eles começavam a me passar exames, eu fazia, mas continuava indo no pré-natal com a cidadã desalmada porque ainda não tinha conseguido encontrar outro médico. Acredito que ela tenha descoberto que eu estava indo a outros médicos, talvez porque eu tivesse ido a um consultório de um amigo dela, ou pelo nome dos médicos nos exames. Sei que quando eu entrei em trabalho de parto prematuramente e fui parar no hospital, ela falou com a médica do plantão pelo telefone que NÃO IRIA fazer meu parto, mentindo dizendo que estava entrando em centro cirúrgico pra outra paciente. Só que pro infortúnio dela, ela estava no consultório, atendendo exatmente minha amiga, que viu que ela estava mentindo, e depois tendo visto o que aconteceu comigo, ligou os pontos. Ou seja, fui abandonada pela obstetra no momento que mais precisei. Ela nunca mais ligou pra saber se eu estava bem, se eu e o meu filho estávamos vivos. E eu, por minha vez, criei ódio dessa cidadã que pra mim não é uma médica, é uma maquininha de fazer dinheiro. Também aprendi com essa e outras experiências minhas e de pessoas próximas, que a GO é a segunda coisa mais importante da sua gravidez: só perdendo pro plano de saúde.

Ginecologista boa não necessariamente é obstetra boa

Meu primeiro e primário erro: uma amiga me indicou uma ótima ginecologista e eu fui até ela solicitar seus serviços de obstetra. Talvez pra fazer um preventivo, passar uma pílula ela seja ótima. Mas pra acompanhar uma gravidez, não. Uma boa obstetra precisa de muito mais do que passar exames e ver se está tudo bem, não é mesmo? Uma boa GO é quase uma psicóloga, que escuta seus desejos, seus anseios, te acalma quando você tá surtando com medo de tomar uma anestesia na coluna.

Procurando uma Obstetra pra chamar de sua

O certo realmente é você procurar um médico de confiança, por indicação. Mas procure saber se a sua amiga, irmã ou prima já fez um PARTO com ela, e como foi durante todo o processo (se ela foi atenciosa, se passou todos os exames, se estava de ouvidos abertos pra escutar o que a paciente queria).

Doutora: você faz parto normal?

É comum hoje em dia, infelizmente, alguns obstetras que têm credenciamento com planos de saúde não quererem fazer parto normal. Primeiro porque o parto normal vem a qualquer hora, seja uma segunda-feira 10h da manhã com a médica com 15 pacientes na sala de espera, seja no sábado às 3h da manhã, quando ela está no sono dos justos. É um incômodo, mas ela sabia disso quando escolheu a profissão. Mesmo assim, depois muitos anos nesse ritmo, alguns médicos não querem mais se sujeitar a isso. Outro ponto é que o plano de saúde paga mais por um parto cesárea (porque é uma cirurgia) do que por um parto normal. E o parto normal pode demorar MUITO mais. Então o médico ganha menos e pode trabalhar muitas horas a mais, fazendo um parto normal, do que fazendo uma cesária, que em menos de 1hr a situação já está resolvida. Por estes principais motivos, muitos médicos hoje não querem mais fazer o parto normal. Então se você não quer cesária, precisa saber que tipo de obstetra você está lidando.

É ridículo eu falar isso, porque o NORMAL é (ou deveria ser) uma mãe parir pela vagina, só entrando em mesa de cirurgia caso houvesse necessidade. Mas eu estou mostrando pra vocês a realidade. E a realidade é essa. A maioria dos médicos não quer ou prefere fazer cesárea, e induzem você a fazer isso, mesmo contra a sua vontade.

Doutora: meu santo não bateu com o seu

Outro ponto é saber "se o santo bate". Ela pode ter sido maravilhosa pra sua prima quando ela teve bebê, mas você não gostou do jeito dela. Aí… Eu acho melhor trocar, enquanto ainda pode. Sua GO tem que ser sua parceira, e você não consegue fazer uma relação de parceria com quem o santo não bate, não é verdade?

Ela precisa atender você de maneira satisfatória, você precisa sair feliz e esclarecida da consulta. Você precisa sentir que está sendo bem cuidada. Se ela atingiu esse objetivo, essa pode ser a obstetra pra você chamar de sua.

Doutora: e se eu entrar em pânico?

Esse é um ponto muito importante. É comum na primeira gravidez (mesmo na segunda, terceira… rsrs) você entrar em pânico e morrer de medo de estar morrendo, do bebê eestar morrendo… Você precisa falar com a sua GO obstetra e dizer pra ela que vomitou 3 vezes e a cor foi X e o cheiro foi Y, pra ela dizer: "Calma! Está tudo bem, isso é normal!" Ou às vezes você realmente está passando mal e precisa de uma opinião, do tipo se vai pro consultório dela ou se é melhor ir logo pra uma emergência obstétrica.

Se você é dessas pacientes que querem um contato mais estreito, ou pelo menos querem ter o direito de ligar pra sua GO quando acharem que estão precisando, é bom sondar antes. Muitos médicos não gostam desses contatos, e se você preza por ele, pode ficar frustrada. Eu sou dessas, quero falar tudo, quero perguntar tudo, fico desesperada se passo mal. Finalmente na minha segunda gravidez achei uma GO que é maravilhosa! Até Zap Zap a gente conversa, e ela me deu o telefone da casa dela. É claro que eu não vou entrar em contato por qualquer faniquito, mas sempre que eu precisei fui atendida prontamente (dentro das possibilidades). Teve uma vez que eu liguei e ela estava entrando pra fazer um parto de emergência, então ela perguntou: "É muita emergência?" Eu falei: "Não!" Ela respondeu: "Então quando sair do parto eu te ligo." E me ligou mesmo. Eu sabia todos os passos dela: dias X, Y e Z ela está no consultório, dia W ela dá plantão em tal lugar… Então eu me sentia muito segura com ela.

Por que eu preciso me preocupar primeiro com o plano?

Lembra quando eu falei que tentei vários obstetras na minha primeira gravidez e não achava nenhum? Eu me lembro até hoje do rosto de um médico velhinho lá em Copacabana que fazia parto humanizado, com doula, em casa (se você quisesse), sem anestesia e episiotomia. Fiquei maravilhada com ele! Muito atencioso, tinha muita experiência, ouvia o que eu queria e falava que podia trabalhar comigo pra gente poder fzer o parto dos meus sonhos. Só tinha um problema nele: não aceitava meu plano. E pra bancar todas as consultas e o parto particular saía totalmente do meu orçamento. Eu não podia pagar por aquilo.

Então antes de achar o médico dos seus sonhos, você precisa ter um plano de saúde definido e saber se ele aceita o seu plano.

Estabelecendo uma relação de companheirismo

O ideal realmente é você achar uma GO antes de engravidar. Nessa hora você vai abrir seu coração pra ela e dizer que quer engrvidar e vocês 2 vão se preparar juntas. Lembram da experiência da minha primeira gravidez? Então! Eu não tinha nenhuma relação de companheirismo com ela! Já na segunda gravidez eu escolhi antes, me tratei com ela antes, ela sabia como eu estava e sabia também das minhas intenções. Embora ainda faltassem uns últimos exames ficarem prontos pra ela me liberar, ela sabia que eu queria um bebê. Então quando eu engravidei ela estava junto comigo, eu sabia que ela ia até o fim ao meu lado. Eu sabia que ela não ia viajar, não ia tirar férias, não ia me largar pela metade.

Como já citei algumas vezes aqui, eu perdi meu primeiro filho, então estava MUITO nervosa na segunda gravidez, com medo que acontecesse de novo. Na hora do parto eu tremia da cabeça aos pés. Eu tremia tanto que estava deitada de lado em posição fetal pra anestesista me dar a injeção e ela não conseguia porque eu não parava quieta. Minha GO veio do meu lado, falou que daquela vez ia ser diferente, que nada de ruim ia acontecer ao bebê, que ele ia pra casa comigo, descontraiu fazendo uma brincadeira e depois me abraçou toda, como um bebezinho, então a anestesista veio e deu a injeção. Ela foi falando tudo que estava fazendo comigo durante a cesárea, foi um amor! Depois foi me visitar no hospital 2 vezes e sempre deixando os telefones à disposição.

Isso é o que eu desejo pra todas as gravidinhas desse mundo! <3

Princípios montessorianos para a educação do seu filho
Sobre a formação de leitores no Brasil
Quando meu filho vai parar de babar?

14 comentários
  • Talita

    Tive a sorte de ter encontrado anjos na minha terceira gestação (a primeira foi uma perda, a segunda um parto roubado – cesárea – e a terceira outra perda). Se não fossem esses anjos, eu estaria piradinha hoje em dia…
    Utilidade pública

    [Reply]

    Mariana Reply:

    sinto muito… é muito ruim perder um serzinho que a gente ama tanto! eu já passei por isso, mas sempre dá pra recomeçar <3
    o meu não considero parto roubado por ser cesárea pq eu realmente precisei fazer uma :(
    bjos

    [Reply]

    Responder
  • Nique

    Minha primeira gravidez foi totalmente fora doa padrões, engravidei do namorado, morei junto depois e tal, me informei pouco sobre esse novo mundo, mas aprendi muito com os erros e a cada gestação só fui ficando mais craque HA!

    [Reply]

    Mariana Reply:

    é… na minha primeira gravidez foi td errado, mas tb aprendi com os erros e fui melhorando hehehe
    bjos :)

    [Reply]

    Responder
  • Tamirez Santos

    Mari, minha madrinha teve um grande problema com a obstetra dela. Ela ficou adiando o parto e ela já estava com quase 10 meses e nada da mulher querer fazer o parto. Minha madrinha tava ficando muito mal, e teve que ter o parto as pressas e quando tiraram o baby dela, já tinha passado várias semanas da época. Alguns dias a mais e ele não teria sobrevivido e ela teria várias complicações, além do choque emocional né?

    Portanto concordo que escolher o obstetra é algo super importante e deve-se levar coisas em consideração.

    Ótimo post (:
    Beijo

    [Reply]

    Mariana Reply:

    olha aí que horrível… nossa, eu escuto cada coisa quando eu começo a conversar com mamães… é triste…
    bjos

    [Reply]

    Responder
  • Camila Faria

    Mariana, que pesadelo essa sua história com a obstetra (do terror!). Adorei as dicas e vou ficar bem esperta quando chegar a hora de decidir!

    [Reply]

    Mariana Reply:

    foi um pesadelo mesmo :(

    [Reply]

    Responder
  • Karen Vanessa (@vskaren)

    Eu gosto taaanto do seu blog!
    O conteúdo é muito completo, você mostra as experiências e está me ajudando muito a me preparar para a maternidade. :)
    Beijos com açúcar! ?
    http://www.normalidadeincomum.com.br

    [Reply]

    Mariana Reply:

    Ahhhhh! Que legal! Obrigada! Fico feliz em estar ajudando! :)

    [Reply]

    Responder
  • Isabella de Paiva

    cara, achar médicos bons no brasil tá cada vez mais difícil :~
    histórias como a sua, que queria parto normal e teve que fazer cesária é cheeeeeia por ai e morro de medo de continuar assim quando eu tiver grávida, porque enfim, quero muito parto normal.
    Mas, o que importa é que você e seu filho estão bem, no final das contas! 😀

    Um beijo,
    Isabella
    The Urban Trends
    Sorteio: Vestido da Romwe

    [Reply]

    Mariana Reply:

    😉

    [Reply]

    Responder
  • Thais Santana

    Cada dia parece mais difícil a decisão de ter um bebê, são tantas coisas para pensar, antes eu queria uma cesária por medo, mas hoje eu sei que sou capaz de ter uma parto normal (como deve ser), lendo seu post sobre médicos, fico me perguntando onde encontrarei uma (ou um) igual a sua.
    Obrigada por compartilhar suas experiencias conosco.

    [Reply]

    Mariana Reply:

    é sempre bom perguntar pra amigas ou parentes que tenham tido filho há pouco tempo como foi a relação com a médica delas… talvez por aí vc consiga encontrar alguém de confiança! 😉
    bjos

    [Reply]

    Responder