GMPV #03 – Preparando seu corpo

Em 06.10.2014   Arquivado em Maternidade

Olá meninas! Chegamos ao 3º passo para uma gravidez tranquila. Estou amando fazer esse guia e fico feliz que algumas meninas tenham entrado em contato comigo. Me sinto feliz em ajudar, pra que vocês não passem o que eu passei na minha primeira gravidez.

Como passo 3 vamos falar agora sobre a preparação do corpo da mamãe, e a cabecinha também faz parte disso (aliás, é uma parte muito importante).

Por que preciso primeiro do plano de saúde e da obstetra?

Bom, você só vai conseguir preparar seu corpo efetivamente depois de um plano de saúde que te possibilite isso, e uma obstetra pra passar seus exames. Por favor, não pule este passo. Se você pensa em engravidar, ter saúde física e mental é primordial pra uma gravidez tranquila, e diminui drasticamente as chances de você ter um insucesso.

Preparando seu corpo

Durante a gestação, o corpo sofre uma tremenda mudança. Embora todo mundo saiba disso, somente quando você está passando é que se dá conta do quão grande essa transformação é. Você sente mudanças, literalmente, da cabeça (os cabelos ficam lindos e brilhosos) aos pés (muitas vezes os pés ficam feios, com a pele grossa e descamam).

Pra começar, você precisa ter sua saúde em dia, porque engravidando, toda a energia será dividida. Então você precisa verificar como andam suas taxas de açúcar, colesterol, se está anêmica, e as taxas de hormônios. Creio eu que esses são exames que todo obstetra deva passar antes de liberar qualquer mulher pra engravidar. Esses são exames simples laboratoriais: de sangue, fezes e urina. Caso haja alguma alteração, o próprio obstetra vai pedir exames complementares e/ou tratar com medicação pra ajeitar isso.

ALERTA!
Se seu obstetra te librou pra engravidar sem fazer exames, desconfie dele!
(A não ser que você seja paciente há bastante tempo ou já tenha feito exames recentemente.)

Outros exames que podem ser pedidos por ele (ou você mesma pode solicitar pra que ele preescreva) seriam ultrassonografias mamária e transvaginal. No meu caso, eu fiz um exame vaginal invasivo além desses, por ter tido um insucesso na minha primeira gravidez. Ela queria ver se havia alguma outra coisa no meu útero que até o momento era desconhecida.

A ultrassonografia transvaginal é principalmente importante pra você verificar se tem algum corpo estranho no útero que possa complicar diretamente a fixação do bebê e a formação da placenta (um mioma que você não sabia, por exemplo).

Outro médico que é interessante você visitar antes da gravidez é o dentista. Quase ninguém fala disso, mas é importante. Se você tiver uma cárie pra tratar, um canal pra fazer, um siso pra tirar, um tártaro pra remover, é melhor ir antes. Muitas mamães entram em parafuso porque ficam com dor de dente durante a gravidez. Em alguns blogs por aí você lê opiniões bem diversas. Uns dizem que você pode tomar anestesia durante a gestação, outros dizem que não. O fato é que no meu caso o dentista pediu pra eu esperar até depois do parto, porque ele não quis arriscar. Ainda quero lembrar a vocês que depois do parto você vai amamentar, e tudo que você toma (tanto comida, quanto bebidas e remédios) passa pelo leite. Então se você precisar ir ao dentista na época da amamentação, pode ser que precise interrompê-la pelos dias que estiver usando remédios. E você vai ter que ficar ordenhando até seu leite sair sem resquícios de drogas pro bebê (minha amiga ficou com o leite saindo azul por mais de 1 semana!!!).

É comprovado que a saúde bucal da mamãe é fundamental para o bom desenvolvimento do bebê. Grávidas com infecções na gengiva podem ter partos prematuros.

Eu sei que muitas vezes precisamos adiar a gravidez por alguns meses até conseguirmos estabilizar nossa saúde. Mas sinceramente, vale a pena esperar mais um pouquinho, pra poder receber seu bebezinho em um corpo que pode fazer ele crescer de maneira saudável pros dois.

Preparando sua mente

Agora a parte mais complicada e menos objetiva. Assim como o corpo sofre mudanças drásticas, a mente da futura mamãe também. É normal aquela enchurrada de emoções, é normal sentir medo e insegurança quando estamos grávidas. É normal um dia você estar super feliz e empolgada e outro estar triste e desanimada. Há uma diferença hormonal MUITO grande no corpo da mamãe, que se reflete no humor. Isso tudo é absolutamente normal, não há com que se preocupar nem acho que tenha muito como evitar, pois é a própria natureza modificando você e te praparando pra quando seu bebê nascer.

Mas existem, por outro lado, algumas doenças invisíveis que podem estar te atacando, como a depressão, por exemplo, e seria bom você conseguir controlar isso antes da gravidez. Eu engravidei com depressão, e parei de tomar os remédios por conta própria, porque fiquei com medo de prejudicar o bebê (fui ousada quando fiz isso, e nunca mais voltei no psiquiatra porque sabia o que ele ia me dizer). Mas existem casos que simplesmente não dá pra parar de tomar os remédios, e outros casos que precisam ser tratados antes. Isso não é bobeira, nem palhaçada, nem frescura, como ouvimos muito por aí. É bom pra você e pro seu filho que você esteja bem pra receber ele.

Agora, existe também, olhando por outro ângulo, a preparação psicológica pra você engravidar (estão entendendo a diferença ou está ficando confuso?). Algumas mulheres sentem muita vontade de serem mamães, mas entram em pânico quando pensam no parto e no pós-parto. A melhor maneira de você se sentir mais confiante é ler muito, se informar! Leia coisas BOAS, que te deem mais informação e te acalmem. Não adianta ficar lendo desgraça. Sinceramente, durante toda a sua gravidez o que mais você vai escutar é história dramática, até de pessoas desconhecidas que vão te parar na rua. Então, não tem necessidade de você ficar lendo isso, só vai te deixar mais insegura.

Todo mundo sente medo do desconhecido. Todo mundo sente medo do que não pode controlar. Então, ficar nervosa com a gestação é normal, e a melhor forma de lidar com isso é adquirindo todo o conhecimento que você puder.

Epero ter ajudado! Segunda que vem, ao meio-dia, temos o 4º passo do Guia!

  • Karen Vanessa (@vskaren)

    Em 06.10.2014

    Nossa, não sabia de nada disso! *_*
    Estou adorando a série. ?
    Beijos, Kah!
    http://www.normalidadeincomum.com.br

    [Reply]

    Mariana Reply:

    que bom!! :)

    [Reply]

  • Miriam

    Em 06.10.2014

    Mari como sempre arrasando no guia! :) acho super bacana seus posts e gosto muito da maneira como você os escreve! Digo e repito: estou guardando com carinho esse guia; ele será de grande utilidade pra mim daqui a uns anos. E enquanto isso vou divulgando pra amigas q possam se interessar! 😉

    [Reply]

    Mariana Reply:

    owwwwwnnnn <3 que bom que tá gostando!!!
    pode divulgar bastante rsrsrsrsrsrsrsrs
    bjos

    [Reply]

  • Rosinha Melo

    Em 06.10.2014

    Olá bom dia,eu amei seu blog,sou casa e daqui dois anos queremos um bebê
    foi bom encontar você por aqui,para saber das dicas e novidades,eu amo blogs de maternidade
    um grande beiju

    http://rosinhamelomoda.blogspot.com.br/

    [Reply]

    Mariana Reply:

    que bom! seja bem vinda! <3

    [Reply]

  • Francielle

    Em 06.10.2014

    Muito bom esse Guia!
    Realmente um bom ginecologista não é a mesma coisa q eu bom obstetra. A minha ginecologista foi um bom exemplo. Quando engravidei, comecei a acompanhar com ela, e como sempre tive o sonho de ter parto normal, achei q era uma opção normal… mas dai percebi que o buraco era mais embaixo (no caso dela, mais em cima rs pois ela sempre falava q não ia conseguir fazer, que eu ia sofrer… e que a gente ia resolver isso no final da gestação). Percebi no terceiro mês que ela não ia me auxiliar em um parto normal… dai comecei a pesquisar outros obstetras que poderiam fazer.. mas ví que isso era difícil com plano de saúde (no sistema público seria mais fácil)… porque time is money! e fica mais rentável para eles fazerem várias cezárias em 1 dia do que acompanhar 1 parto somente.
    E foi só depois de muita pesquisa e busca por informações que encontrei um lugar para fazer isso: Casa Ângela, uma casa de parto em São Paulo.
    E posso dizer q foi difícil pra uma mãe de primeira viagem conseguir isso, foi trabalhoso encontrar todas as informações, encontrar lugares onde valorizavam esse tipo de parto. Mas por outro lado, aprendi muito sobre parto humanizado, parto natural (normal), amamentação, e várias outras coisas referentes à esse assunto.

    Só posso dizer que é difícil ser mãe de primeira viagem… ou vc engole tudo o que te falam (e sofre com isso, pois muitas vezes esse sistema padronizado esquece que trabalham com pessoas… e acabam no tratando mal)… ou vc toma uma atitude e se informa para conseguir ser ouvida e atendida como gente

    [Reply]

    Mariana Reply:

    é muito triste ler isso… eu fico revoltada como as coisas estão todas ao contrárias… vc precisa correr atrás de um lugar que faça parto normal, quando na verdade, deveria ser o contrário (o lugar de parto normal ser o mais fácil de encontrar)… mas enfim, como eu falei até no post, esse guia não é pra vc ficar com estrelinhas na cabeça de alegria, é pra colocar o pé no chão e fazer o q tem q fazer, pq o caminho das pedras ninguém te ensina, só quer te levar pra comer um monte de porcaria pq “grávida come por 2″ e ver berço, que no final dificilmente vai usar nos primeiros meses rsrsrsrsrs…
    adorei seu comentário, fran! obrigada por estar acompanhando o guia! :)
    bjos

    [Reply]