{Livro} O que te move? – Fernando Moraes

Em 24.09.2016   Arquivado em Livros

Ficha Técnica

Título: O que te move?
Autor: Fernando Moraes
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581637587
Páginas: 160
Categoria: Auto-ajuda

Sinopse: “Movimentar-se para não ficar aprisionado à zona de conforto é um dos grandes desafios nos tempos modernos. Quando a abundância impera, certamente a visão de futuro fica mais comprometida, por isso se faz necessário nos movermos para ter propósitos, sonhos e esperança de dias melhores.

Saindo do estado conformista, que anula as possibilidades e nos imobiliza por causa do imediatismo, ser protagonista é mais do que ser o ator principal de tudo aquilo que envolve a nossa vida. Ser protagonista é colocar o coração no sofrimento do outro, renunciando a zona de conforto em função de quem precisa de nós.

Movimentar um sonho, uma causa, um ideal ou um propósito de vida nos permite despertar para novas oportunidades, aflorando talentos, habilidades, dons e potenciais, nos dando confiança e coragem para seguir em frente.

Neste livro, Fernando Moraes o convida a se mover em busca de novos desafios, a ter atitudes que inspiram grandes transformações e, o mais importante, que nos dê a certeza de que podemos fazer e refazer novos caminhos em busca da nossa felicidade.

O que te move é o que te inspira!”


Minha classificação:

Minha opinião: Quero começar pela capa bem viva que esse livro tem, estou apaixonada pela tranquilidade que a imagem passa ao leitor e também um toque de “mistério”, porque para quem não conhece o autor (como eu) pode pensar que é um livro de ficção com algum ensinamento bem marcante (assim como eu pensei). Bom, O que te move? tem um ensinamento marcante, na verdade vários, mas não é um livro de ficção. Muitos podem considerar auto-ajuda ou motivacional, e até tem um pouco dessas características, mas com certeza é um livro de reflexão com histórias emocionantes.

O que te move? foi uma cortesia muito linda da Novo Conceito, que a propósito arrasou na diagramação e fonte dos títulos, e é narrado em primeira pessoa. É um livro inspirador e que me fez refletir a todo momento sobre o meu papel na sociedade, meus valores sociais e como posso melhorar. Fundamentado em valores filosóficos e conhecimento real, o livro é extremamente importante para a formação de cada pessoa. Traz todos os princípios mais importantes para viver na sociedade, conceitos que definem o caráter do próximo e atitudes valiosas.

Hoje em dia, é muito fácil ajudar ou participar de ONGs em busca de reconhecimento e gratificação, ou pior, o ajudar às vezes nem existe. Mas, por que REALMENTE devemos fazer isso? Qual é o nosso papel? Fernando Moraes, escritor e humanista que já realizou muitos trabalhos voluntários e sociais, nos faz refletir por meio de experiências pessoais sobre o nosso protagonismo social. Nesse livro, ele nos instiga a pensar sobre quem nós somos e como podemos definir o que nos move a agir. Ele, como grande conhecedor na área, ensina sobre o SER humano.

Algo que gostei muito no livro é a composição de histórias pessoais do autor que ensinam e inspiram. Não é um livro de ideias para ONGs e grupos de ajuda humanitária e não é um manual de instruções sobre como “ser bom”, trata sobre o despertar do verdadeiro trabalho voluntário, do olhar mais atento a condição do outro e do conceito de cidadania. Cada um interpretará a sua maneira e refletirá sobre o que está fazendo para SER humano. Super recomendo a leitura!


Alguns trechos do livro:

“O protagonismo social não é uma ação individual, ele depende de como um grupo se organiza e interage entre seus membros e com os outros. Protagonizar ações em benefício do bem-estar social tem na sua essência o fazer parte […] sentir-se responsável por seu espaço social e por tudo que nele habita.”

“Mais do que o tecnicismo, os títulos, as formações e as grandes qualificações, se faz necessário ter disposição para servir o seu semelhante, pois o servir é a essência do despertar da dignidade e do reconhecimento do outro como igual, sem qualquer pretensão.”

“Fique atento à vida. Faça, ouse e busque. Mas, acima de tudo, não ouça ninguém sem ter antes escutado o seu coração.”