Butterfly Soul
Rascunho Literário
Guia para Mamãe de Primeira Viagem
BS no Youtube

{Resenha do documentário} Blackfish

Nome do documentário: Blackfish – Fúria Animal
Classificação etária: Livre
Ano de lançamento: 2013
Sinopse: O longa conta a história de Tilikum, a principal baleia orca do parque temático SeaWorld, em Orlando, Estados Unidos, responsável pela morte de três pessoas. Imagens fortes e entrevistas emocionantes compõem o painel e ajudam a entender o comportamento da espécie, o tratamento cruel no cativeiro, além de recuperar as trajetórias e mortes dos treinadores, pilares de uma indústria multibilionária. O filme convida o espectador a repensar nossa relação com a natureza e explicita o quão pouco os humanos estão dispostos a aprender com esses mamíferos.

Minha classificação (sendo de 1 a 5 estrelas): Meus comentários: Pra começar, eu acho que não chorava assim há muito tempo. Blackfish realmente é um documentário emocionante, onde coloca em pratos limpos o que realmente é o SeaWorld e outros parques aquáticos associados a eles.

O documentário é feito pelos ex-treinadores de lá, que dão depoimentos de como tudo acontecia. Pra começar, não precisava ser biólogo marinho pra ser um treinador de orcas e outros animais aquáticos. No SeaWorld eles diziam que não precisava ter um diploma, mas o essencial era a personalidade do treinador (uma personalidade que combinasse com as baleias), e se ele era bom nadador. Nisso, eles só contratavam pessoas sonhadoras, que amavam as baleias mas eram desqualificadas e desprovidas de qualquer conhecimento sobre a natureza dos animais e como eles realmente se comportavam em seu habitat natural.

Contratar pessoas desqualificadas era o primeiro passo: pois todo o treinamento que o Sea World dava a eles na verdade era uma lavagem cerebral, dizendo que tudo o que acontecia ali era extremamente natural, e que as baleias estavam melhor trancadas em tanques do que soltas pelo mar porque tinham todo o tratamento veterinário e que elas viviam mais tempo em cativeiro por estarem protegidas.

A coisa mesmo começou a degringolar quando Tilikum (uma orca macho) comeu uma treinadora do SeaWorld. Pra ser mais exata, a melhor treinadora do parque, a que mais se dedicava e a mais experiente. Nesse momento, treinadores, repórteres e todas as outras pessoas começaram a se perguntar se era realmente natural baleias ficarem trancadas em tanques por toda a vida. Começaram a se perguntar se a morte da treinadora realmente foi um acidente, como dizia a assessoria de imprensa do SeaWorld, ou foi um ataque psicótico de uma baleia presa por décadas, passando fome, sendo atacada por outras baleias, e sem poder viver de maneira digna com sua família, a quem foi capturada e retirada de seu seio familiar.

É um documentário emocionante, que faz você pensar se realmente vale a pena gastar seu dinheiro pra ir a um parque desses, e outros que funcionam da mesma maneira.

Eu refleti muito depois disso, e acredito que nunca irei ao SeaWorld nem nunca deixarei meu filho ir. No Zoo DeLujan (em Buenos Aires), acontece algo semelhante com os animais, que são dopados durante todo o dia para que um bando de babacas possam ir lá e tirar foto sentando na corcunda do leão ou segurando um filhote de tigre.

Recomendo muito que todos possam ver esse documentário. Já que não podemos fechar o SeaWorld, nossa única saída é alertar as pessoas do que acontece lá e em outros parques semelhantes, pra que as pessoas não comprem ingressos.

Aqui embaixo algumas fotos e o trailer do documentário:

Outros links que valem a leitura:
O efeito Blackfish: Alerta dá resultado
15 RAZÕES PARA NÃO LEVAR SEU FILHO AO SEAWORLD

{Documentário} Amy
Resenha do documentário: Auschwitz – Inside the Nazi State

10 comentários
  • Clay

    Será que eu aguento assistir? =/

    [Reply]

    Mariana Reply:

    rsrsrsrs…

    [Reply]

    Responder
  • Adriana Monteiro

    Como todo mundo que convive comigo sabe, eu sou apaixonada por animais e não suporto maus tratos a eles. Já ouvi falar nesse documentário mas ainda não tive coragem de assistir, só de ler essa resenha sua já fico com o coração apertado. Mas ele tá na minha do Netflix e qualquer dia desses assisto. Tenho que me preparar psicologicamente primeiro…rs

    [Reply]

    Mariana Reply:

    hahahahaha… eu vi e não sabia mt o que esperar… fiquei revoltada, sabe? grrr… mas assiste sim <3

    [Reply]

    Responder
  • Anne

    Mesmo antes de ler mais a respeito de como os animais são tratados em cativeiro eu já achava isso muito errado. Não vejo qualquer motivo plausível e justo pra um animal ser arrancado do seu ambiente natural e dos seus semelhantes e passar a vida toda trancado em um local estranho, sem convívio com outros animais de sua espécie e recebendo um tratamento duvidoso.
    Odeio o Sea World, zoológicos e circos com todas as minhas forças!
    Amo animais e sou mega sensível, não sei se dou conta de assistir ao documentário, mas tenho certeza que é interessante e espero que seja ainda muito divulgado, quem sabe assim mais pessoas parem de financiar esses shows de horrores.
    Parabéns pelo post!
    Beijo

    [Reply]

    Mariana Reply:

    concordo com vc em gênero, número e grau \o/ bjos

    [Reply]

    Responder
  • Juliana

    Eu assisti a esse documentário há muito tempo e chorei muito também. Eu ia até comentar sobre os animais selvagens dopados pros visitantes tirarem fotos, mas você falou sobre eles no post também. Esse filme vem sendo bastante visto pelas pessoas e acho o máximo. Espero que todos se conscientizem e o parque receba cada vez menos visitas (tomara, torcendo…).
    Parabéns pelo post, temos que divulgar esse filme mesmo!

    Beijos!

    [Reply]

    Mariana Reply:

    😉

    [Reply]

    Responder
  • Renata

    Eu já ouvi muito sobre o SeaWorld e confesso que não tenho coragem de assistir ao documentário porque já sofro antecipado! >.<
    Beijo

    [Reply]

    Mariana Reply:

    hahahaha… eu gosto de assistir e colocar o dedo na minha ferida >.<

    [Reply]

    Responder