Butterfly Soul
Rascunho Literário
Guia para Mamãe de Primeira Viagem
BS no Youtube

Sobre ser perfeita

Cada dia mais eu vejo as mães sorrindo e postando fotos lindas por aí nas redes sociais. Ser mãe é uma alegria interminável, e você sempre está pronta e maquiada pra tirar uma foto.

As fotos dos casais não têm nenhum ruga ou unha descascando.

As famílias são felizes.

A grama é sempre verde.

A barriga é sempre tanquinho.

#sqn

Eu queria saber da onde surgiu ess cultura ridícula que você precisa ser a mãe maravilha, que não pode pedir ajuda, admitir que está cansada; em qual cultura você precisa ser a esposa feliz, completamente satisfeita com o casamento; em qual época surgiu a crença de que você pode dar conta de abraçar o mundo e ainda ter tempo pra ir à academia.

Não, eu não sou perfeita. Já falei aqui um monte de vezes que gostaria de ser uma dona de casa melhor, uma esposa melhor, uma mãe melhor, uma filha melhor… Sei lá, tudo melhor… É normal, natural e sadio você saber seus limites, saber quando precisa de ajuda, saber até onde pode ir e aonde precisa melhorar.

Não é vergonha admitir que não consegue, não é derrota pedir ajuda.

Vejo algumas mulheres de longe, que trabalham, cuidam da casa, cuidam dos filhos e estudam. Elas são lindas e arrumadas à primeira vista. Dou um passo pra frente e vejo que elas não são tão perfeitas assim. Dou 2 passos e vejo a olheira de cansaço. Seguro na mão e ela chora de desespero.

Ninguém é uma máquina que acorda às 5h da manhã e vai dormir meia-noite e se sente feliz e realizada.

Passei por isso há algum tempo. Tentava abraçar o mundo e fazer tudo perfeitamente e sem pedir ajuda, afinal, todas as mulheres à minha volta pareciam fazer o mesmo, e eu me sentiria uma fracassada se não conseguisse o mesmo. Não deu muito certo. Cheguei num nível de estafa tão grande que meu corpo pifava e eu desmaiava, em qualquer lugar, a qualquer hora do dia. Comecei a ficar com medo do que estava acontecendo comigo, mas continuava forçando meu corpo a dar conta de uma matemática que não fechava.

Somente quando admiti que tudo aquilo era demais pra mim, escolhi as coisas que eu queria e/ou realmente PRECISAVA manter, e abandonei as outras, comecei a melhorar. O que seria da música se não houvesse nenhuma pausa? O que seria de nós sem descanso? O ócio é saudável também. A reflexão tem que fazer parte da vida. Sentar no sofá e ver um filme comendo pipoca e deixar um monte cair não faz mal à ninguém. Somente quando me dei conta disso passei a ser mais bem resolvida, e consequentemente, feliz.

Quando meu filho nasceu, minha vida mudou toda novamente, e achei que podia dar conta de tudo. Cometi o mesmo erro de antes. Fiquei estafada, cansada, estressada, não aguentava ouvir choro de neném. Não deixava meu marido fazer nada porque, de acordo comigo, eu estava dando conta. Quando deixei meu marido me ajudar, nas mínimas coisas, como dar um banho e trocar uma fralda quando estava em casa, se revezar comigo nos fins de semana pra eu poder descansar mais, meu mundo começou a ficar colorido de novo.

A cultura hoje em dia é a da perfeição. Corpo perfeito, rosto perfeito, esposa perfeita, família perfeita, maternidade perfeita. Parece que até o cocô do neném é cheiroso. Mas não se engane. Não tenha vergonha de pedir ajuda. Não se ache derrotada por precisar abortar alguns planos em função do seu descanso. Segure a mão de alguém que quer ser perfeito e você vai ver que não é saudável carregar esse fardo.

Metas para 2017
{Teatro} VeRo – Cia de dança Déborah Colker
Eu e minha mania de Hermione Granger

2 comentários
  • Camila

    Hoje em dia tudo é aparência. "Não tenho dinheiro e atraso meu aluguel, mas vou comprar o último lançamento da apple, porque o que realmente importa é o meu status".
    Pessoas fingindo se o que não são, sentir o que não sentem, ter o que não tem… Infelizmente a cultura do "parecer" está em alta e se a Angélica, a Angelina Jolie e a Gisele Bundchen são mães incríveis, malhadas e tem a pele perfeita, ai de quem é uma mãe comum, com a barriguinha, o rosto cansado e o cabelo despenteado – uma mera mortal.
    Felizmente ainda existem as pessoas pé no chão como vc, Mari :)

    [Reply]

    Mariana Reply:

    “Não tenho dinheiro e atraso meu aluguel, mas vou comprar o último lançamento da apple, porque o que realmente importa é o meu status”.
    Adoreeeei hahaha

    [Reply]

    Responder