Bem vindo Grupo Editorial Global

Em 14.01.2017   Arquivado em Vida Conectada

E aí, galerinha! Como vocês estão?

O post de hoje é muito especial. Agora em 2017 estamos começando uma parceria totalmente nova, com o Grupo Editorial Global!

Estou muito feliz com essa nova parceria!! Muito mesmo!!! Pelo que entendi eles escolheram uma pessoa de cada estado, e eu fui a escolhida do Rio de Janeiro! É muito amô! <3 Apareci lá no blog deles, dá uma olhada!

Agora podemos aguardar novidades lindas pra esse ano! Espero que vocês acompanhem tudo por aqui!

Beijos! :)

{Livro} Entre o Sol e a Lua – Ana Ferrarezzi

Em 03.09.2016   Arquivado em Livros

Ficha Técnica

Título: Entre o Sol e a Lua
Volume: 1
Coleção: Série Esmeralda
Autor: Ana Ferrarezzi
Editora: Novo Século
Selo: Talentos da Literatura Brasileira
Edição:
Ano: 2016
Formato: 16 x 23 cm
Acabamento: Brochura / Capa mole
ISBN: 978-85-428-0822-3
Páginas: 520
Categoria: Fantasia

Sinopse: “Joana cresceu em uma cidade no interior de São Paulo e, para dar um novo rumo à sua tumultuada vida, aceita um emprego em uma multinacional no Rio de Janeiro. Enquanto ela enfrenta os desafios desta nova fase, Cauã – entidade do Sol – a reencontra e a reconhece como o amor milenar dele.

Joana não tem conhecimento de que é a personificação de uma importante entidade milenar, representada pela Lua, tampouco tem ideia de que agora faz parte de uma perigosa batalha entre entidades indígenas e de que irá se deparar com inimigos inimagináveis. Surge entre eles uma paixão sem limites.

No entanto, Cauã precisará unir forças para proteger a sua amada e quebrar o encantamento que o impede de estar ao lado dela. Afinal, se o Sol precisa de Cauã para existir, ele precisa de Joana para viver.

Num enredo intrigante e mágico, Entre o Sol e a Lua dá vida a personagens míticos e à encantadoras lendas, parte do folclore brasileiro ainda pouco explorado: a mitologia tupi-guarani.”


Lançamento do livro no Rio de Janeiro

Pra quem quiser prestigiar a autora de perto e ter um exemplar assinado por ela, aqui vai a dica do final de semana! Abaixo os detalhes do lançamento aqui no Rio: :)

Dia: 03/09/2016
Hora: 17h
Local: Fashion Mall – Livraria Cultura – Estrada da Gávea, 899 – São Conrado
Valor do livro: R$39,90


Minha classificação:

Minha opinião: Antes de qualquer coisa, queria falar do livro físico. A capa é linda, eu realmente adorei e tem tudo a ver com a história em si. Algumas pessoas me perguntaram no ônibus sobre o livro porque ficaram curiosas por causa da capa, então eu só posso dizer que o capista se deu bem. Essa vai pro portfólio dele com muito orgulho… Rs… Além disso eu gosto mais de livros que tem a página amarelada, cansa menos a visão, ainda mais quando o livro é grande e você vai ler muito. Eu gosto da fonte que foi usada no livro também. Não notei nenhum erro de revisão de texto e isso é um ponto super positivo.

É a primeira vez que eu leio um livro da Ana Ferrarezzi, mas pesquisei sobre ela antes de começar a ler o livro e vi que ela já tem outros livros publicados e que sempre são bem aceitos pelos leitores, então já fui esperançosa de ser bom. E não me decepcionei. O livro é muito bom e eu li ele todo em poucos dias (3 ou 4 dias) apesar de ter mais de 500 páginas.

Agora vamos falar da história em si. É um romance de fantasia mitológica escrito em terceira pessoa. Porém, o diferencial dele é que a mitologia que o livro é baseado não é a que estamos acostumados. Rs… Ela baseia tudo em cima da mitologia tupi-guarani. Só por isso eu já achei fantástico!!! Dificilmente você encontra livros hoje em dia que dão ênfase na nossa cultura. A maioria dos livros que a gente vê é de escritor estrangeiro, e quando fala de mitologia, pensamos logo na grega. Então esse livro é bem diferente!!!

Um ponto que eu tive dificuldades foram os personagens e alguns termos, porque eu não tenho a menor familiaridade com a nossa mitologia. Então no começo eu fui lendo com um papel, anotando personagens e pontos importantes pra não me perder. Depois descobri no final do livro um Glossário de nomes e termos, que putzzzz… Me ajudou muito!!! Depois dessa dificuldade inicial o livro fluiu muito bem. É normal a gente estranhar um pouco quando pega uma coisa totalmente nova.

O romance é entre Jaci (entidade Lua) e Guaraci (Entidade Sol). Jaci, que hoje é Joana, veio para o Rio para um emprego, mas não tem consciência de quem ela é. Ao ser recebida por Cauã (Guaraci) ela sente algo diferente.

Cauã é um homem muito lindo, rico e poderoso que pode conquistar qualquer mulher, mas ao encontrar Joana depois de 500 anos amargando sua solidão, ele percebe que ela não sabe quem ela é e nem quem ele é também. Isso faz com que Cauã comece a fazer de tudo para conquistá-la, mas percebe que na verdade ela recebeu um encanto e ele não pode tocá-la.

A notícia da falta de memória de Joana se espalha e logo todas as entidades que representam algum elemento no mundo inteiro sabem o que está acontecendo. Com isso, todos começam a acreditar que Cauã não pode harmonizar o sistema solar por muito mais tempo. Cauã fica numa situação delicada, pois além de Joana estar vulnerável, ele precisa dela pra existir. A partir daí, o que eu contar vai ser spolier… Rs… Só posso dizer que é uma história super legal e eu estou ansiosa pelo próximo volume da série.


Alguns trechos do livro:

“Lina, Gabriel e seus amigos acumulavam vidas em meio a uma milenar existência. Eram obrigados a se reinventar de tempos em tempos para integrar-se à sociedade, viver diversas vidas, acumular nomes, morar em diversas cidades, experimentar diversas culturas. No entanto, um ponto similar ao humano era o livre-arbítrio. Detinham a liberdade de escolher livremente. Em contrapartida, eram obrigados a lidar com suas escolhas pela memória intacta de uma longa existência e também sob a pena de conviver com as consequências.”

“Uauiara era uma entidade que se incumbia de cuidar dos peixes. Além disso, era extremamente impulsivo, um amante formidável e incapaz de se controlar diante da formosura feminina. Como se a natureza fosse uma mulher vaidosa e quisesse retribuir sua admiração, presenteou-o com um dom especial de persuadir e manipular o desejo. Um sedutor irresistível, um bruxo que manipulava sentimentos, ele utilizava seu poder de galanteador para persuadir mulheres e possuí-las. Uauiara era descuidado. Ele tinha uma maneira peculiar de seduzir com seu olhar que as penetrava profundamente. Jaci não teria qualquer chance ao lado dele.”

“Você e Jaci estão ligados. As suas essências uniram-se há milênios. Assim como o Sol tem o seu ciclo, o que chamamos de máxima solar, o amor também. Ele nasce com uma faísca, sua chama cresce, explode, reduz, para posteriormente reacender novamente. Não entenda que o seu sentimento de amor por Jaci é linear. Não, meu caro… Ele é tão ardente e tão vivo como o Sol.”

“Eram dez e quinze quando Cauã saiu do hotel. Ele estava tão feliz que decidiu andar um pouco para gastar energia. Há pouco tempo, Joana havia lhe roubado um beijo. Seus lábios se uniram com aquela fome que só um amor milenar, ou uma grande abstinência provoca. Um momento de ostensiva riqueza, interrompida subitamente pela perda dos sentidos de Joana.”

“Finalmente, Jaci (Lua) e Guaraci (Sol) puderam se encontrar! Sem perder tempo se amaram intensamente. O encontro os surpreendeu de tal maneira que não conseguiam mais se distanciar. Em consequência, o eclipse perdurou por dias. O sol deixou de direcionar o sistema que tanto dependia dele. Então, Rudá foi obrigado a intervir pela segunda vez. E aconselhou ambos a se materializarem em formas humanas.”

{Livro} O ano em que te conheci – Cecilia Ahern

Em 18.08.2016   Arquivado em Livros

Ficha Técnica

Título: O ano em que te conheci
Autor: Cecilia Ahern
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581638324
Páginas: 336
Categoria: Drama

Sinopse: “Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt. Vizinhos, eles não têm o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato. Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt. Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda.

Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles têm muito tempo livre e precisam rever seus conceitos para poder seguir em frente. Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer.

Uma história dramática, original e divertida como só Cecelia Ahern é capaz de escrever.”


Minha classificação:

Minha opinião: O livro conta a história de Jasmine, uma executiva de start-ups. Ela implanta novos projetos, faz eles prosperarem e então vende. E começa outro. E vende. E começa outro. E vende. E começa outro. E vende. Em uma dessas vezes, seu parceiro de trabalho Larry se apega demais ao negócio, mas Jasmine quer vender. Ela negocia a venda da empresa sem o companheiro saber, porém ele descobre e a demite da própria empresa. É nessa situação que conhecemos a personagem principal e é a partir daí que se desenrola a história.

A narração é em primeira pessoa feita pela Jasmine, que alterna entre falar com os leitores e com Matt, seu vizinho. Pra mim foi um pouco difícil entender pra quem ela estava contando a história em algumas partes, e só depois de um tempo eu entendi que era pro vizinho, pois no mesmo capítulo ela fala pra gente e pro Matt, fica um pouco obscuro em algumas partes.

Outra coisa que me incomodou bastante no livro foi a própria personagem: Jasmine. Ela fica questionando toda a vida dela a partir dessa demissão. Mas pombas! Por que ela está se tratando como uma inválida se o trabalho dela é ter ideias de novas empresas, construir e fazer dar certo, vender e começar outra? Por que ela simplesmente não começa outra ideia e enterra essa porcaria de última experiência que ela teve? Fiquei me perguntando isso por 5 capítulos até a autora finalmente dizer que lá fora eles fazem isso: pessoas importantes que têm informações privilegiadas são demitidas e ficam em licença remunerada por meses, muitas vezes por anos, para não trabalharem para a empresa concorrente e levar as informações pra lá. Não faço a menor ideia se isso existe no Brasil, e se existe eu nunca soube. Como não é uma realidade profissional comum acho que essa informação deveria ter sido explicada desde o começo do livro, pra gente não ficar perdido e achando os questionamentos da personagem sem noção, como eu achei que era. Quando lá pelo capítulo 5 ela explicou essa situação eu estava no ônibus voltando do trabalho e não me contive e dei uma grande AHHHH! fazendo todo mundo olhar pra mim! #shameonme (Sinceramente mesmo com essa explicação eu não fiquei totalmente convencida, porque ela podia trabalhar informalmente de casa em novos projetos e quando a licença terminasse ela poderia lançar os projetos que vinha trabalhando naquele ano… mas enfim…)

Outra coisa: como revisora de texto eu vi alguns problemas de tradução e revisão, mas eu também leio os livros com os olhos muito críticos. Talvez você nem repare. Meu principal questionamento é: Kris e Kylie (filhos do Matt) são gêmeAs ou gêmeOs? Em inglês a autora se refere como “they”, na tradução o tradutor às vezes refere-se como se fosse um casal (1 menino e 1 menina) outras vezes como 2 meninas. O livro acabou e eu não decifrei esse enigma.

A melhor parte, mais sensível e que eu chorei horrores e me apeguei e tive abstinência quando o livro acabou foi a história de Heather, irmã de Jasmine. Ela é uma adulta com Síndrome de Down, que trabalha em 2 empregos, ama música e tem um namorado. A cada dia ela conquista mais um pouquinho da sua independência pra viver sua vida com ele. A mãe delas morreu quando as filhas eram muito jovens. Heather é a mais velha e age como se Jasmine precisasse de muitos cuidados, mas Jasmine também cuida da irmã mais velha com muito carinho. É uma relação profunda e bonita, e a dependência da Jasmine com a irmã tem outros fundos psicológicos que serão revelados só no final do livro. Foi uma parte muito bem escrita e amarrada, devo confessar. Essa parte me conquistou.

De uma maneira geral, os relacionamentos entre as pessoas no livro têm uma construção muito profunda e desenvolvida, você vê que a autora realmente saca de construção de personagem, só o tema do livro em si, com essa demissão mal explicada que não me conquistou como deveria.

Enfim, eu tive uma experiência de amor e ódio com esse livro. Eu amei em muitas partes, nem tanto em outras. Mas no final o saldo foi positivo. <3


Alguns trechos do livro:

“(…) Heather é a minha fraqueza. Qualquer briga, desentendimento, relacionamento que não deu certo ou até um relacionamento possível para o qual eu nunca dei chance estão relacionados, sem exceção, a uma reação, um comentário, uma observação ou alguma coisa que tenha a ver com Heather. Eu não seria capaz de me envolver com uma pessoa que demonstrasse arrogância ou ignorância, sendo inocente ou não, em relação à minha irmã.”

“Ele é cuidadoso e carinhoso e cuida dela o tempo todo, tratando-a quase como se fosse frágil, ou talvez preciosa, como se fosse uma honra cuidar dela. Ele abre portas, puxa cadeiras e, mesmo sendo um pouco desajeitado, consegue fazer tudo. Heather é tão independente e, mesmo assim, permite que ele faça essas coisas, e parece feliz quando ele faz. Ela passou tantos anos não querendo ser uma pessoa que precisa de assistência desnecessária que vê-la assim me surpreende.”

“Ao perder o controle este ano, eu comecei a trabalhar em meu jardim para manter algum tipo de domínio, pensando que ele cederia à minha vontade. Mas ele me mostrou que não irá. Nada pode ceder à nossa vontade. Eu negligenciei meu jardim e permiti que as lesmas tomassem conta deles.

Foi exatamente isso que fiz comigo mesma.”

Página 1 de 3123