{Para todos os garotos que já amei} O barbudo dos meus sonhos

Em 03.08.2015   Arquivado em Escrita Criativa

barbudo

Não sabia que podia te amar mais. Mas aconteceu. Ver seus olhos brilhando ao admirar nossa obra-prima pela primeira vez foi a visão mais linda que eu tive na vida. Parece que todos os nossos momentos especiais foram uma preparação para aquele olhar. Na verdade eu ainda fico me punindo, pois gostaria de ter tido uma visão mais clara de toda a situação, mas a emoção era tão forte que meus olhos estavam inundados.

Você veio até mim com a coisinha mais linda nos braços, com o sorriso mais orgulhoso do mundo. Nem toda aquela barba escondia seu sorriso. Meu barbudo, como algum dia podia imaginar que meu coração ficaria tão quentinho só de olhar você sorrindo pra nós?

Você aproximou aquele diamante do meu rosto, e pela primeira vez pude sentir seu cheio e ver seu rostinho. Acho que ela vai ter o cabelo parecido com o seu. É tudo que eu posso opinar no momento. Também acho que seremos muito felizes. Seremos? Acho que me expressei mal. Nós já somos muito felizes. E essa linda garotinha que acabou de sair de dentro de mim é o fruto da nossa felicidade.

Não sei como lidaremos com a nossa vida, sabe? E às vezes tenho um pouco de medo disso. Os meus, os seus e os nossos. Você e eu. E uma salada de frutas. É muita coisa pra uma mesma casa. Só falta um cachorro. E um quarto a mais, pra caber todos os nossos livros. Será que alguém é mais feliz que isso? Duvido. Nossa vida pode ser complicada, mas é tão simplesmente maravilhosa que não consigo imaginar alguém sendo mais feliz que nós dois. Que nós cinco.

Que horas você vai chegar do trabalho hoje? Meu coração apertou de saudade. E quando isso acontece dá vontade de chorar. Só nos seus braços eu aquieto. Escutando seu coração, com meu ouvido grudado no seu peito. Roçando meu rosto na sua barba, até ficar toda vermelha e pinicando. Sentindo seu cheiro e dormindo com nossas pernas entrelaçadas. Esse é meu porto seguro: você.

Hoje ela chorou muito. Já dei todo o leite que pude, meu peito esvaziou. Acho que ela sente sua falta tanto quanto eu. Você é indispensável na nossa vida. Vem logo! Deita aqui na cama com a gente, deixa nossa princesa no meio, pra gente ter a visão mais sublime do amor. Vamos comprar uma cama king size, pra caber todo mundo. E quando todos eles dormirem, a gente faz amor no sofá.

{Minhas impressões} Dez coisas que aprendi sobre o amor – Sarah Butler

Em 30.07.2015   Arquivado em Livros

Olá pessoal! Como vocês estão?

Hoje o post é mais do que especial. A Novo Conceito está lançando livro novo!!! #todoscomemoram O nome do livro é 10 coisas que aprendi sobre o amor, e o nome da autora é Sarah Butler.

Sinopse:

“A história fala sobre duas pessoas completamente diferentes e, ao mesmo tempo, que complementam-se: Daniel, um mendigo que lista diariamente os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu; e Alice, que não se sente à vontade entre a família que a cerca e também tem a sua lista, de coisas que a tornam feliz ou triste. O que eles tem em comum, devem estar me perguntando? O amor, é claro, esse sentimento que se torna um dos personagens principais, presente em toda a história.”

Minhas impressões:

Ahhhhh!!! A Novo Conceito me mandou uma amostra do livro em primeira mão, e como foram só alguns capítulos, ficou tudo pela metade na minha cabeça. Eu acho que fiz uma ligação entre os personagens, mas não sei se o que eu pensei foi o certo. Claro que não vou contar pra vocês, porque não quero que perca a graça. Mas sim, o livro é instigante e emocionante.

A Novo Conceito pediu pra que eu fizesse também minha lista com 10 coisas que aprendi sobre o amor, então aí vai!!!

10 coisas que eu aprendi sobre o amor:

Amor não se pede, ou a pessoa dá livremente, ou você deve partir pra próxima, mesmo que doa muito;
Amor é sobre ceder;
Amor é companheirismo;
Amor é cuidar do outro como se fosse a coisa mais preciosa que você tem no mundo;
Amor é dar apoio nos piores momentos;
Amor é se conectar de corpo e alma;
Amor é decidir amar as qualidades e decidir não ver os defeitos;
Amor é quando você se sente completo e seguro dormindo de conchinha;
Amor é quando o cheiro dele faz seu coração ficar quentinho;
Amor é aquilo que você sente quando vê a pessoa dormindo.

Citações:

“Saímos uma vez — um fim de semana em Brighton —, um tempo arrebatador, perfeito. Tomamos sorvete e comemos peixe e batatas fritas. Nós — parece errado dizer isso para você —, mas nós fizemos amor num hotelzinho barato com vista para o mar.
Estou mentindo quando digo que foi perfeito. Foi cinzento e triste. Fiquei com raiva: palavras duras no quarto alugado. Assim os olhos dela se fechavam e seus lábios se enrijeciam. Acho que era difícil para
ela também.
Uma vez que tenha me apaixonado, acho quase impossível me desapaixonar; aprendi isso sobre mim mesmo. Não é algo que torne a vida mais fácil.”

“Hoje meu coração está forte. Sigo a forma do rio, procurando cores. Desde que eu seja discreto, ninguém dará muita atenção a um velho enchendo os bolsos com porcarias. Há pessoas na minha situação que ficam no mesmo lugar, que desenham uma linha invisível ao redor de si mesmas e não a ultrapassam, mas não sei onde você está, por isso continuo me movendo.”

Vocês ficaram tão curiosos quanto eu? Eu tô roendo as unhas! 😉

30 lições que aprendi em 30 anos de vida – Parte 2

Em 02.05.2015   Arquivado em Pessoal

Olá galerinha! Ontem foi meu aniversário de 30 anos!!! Comecei a fazer um post sobre as 30 lições que aprendi em 30 anos de vida, mas como ficou muito grande, dividi em 2 partes. Hoje é a parte 2: do 16 ao 30. 😉 Bora?

16 – Devemos amar as pessoas como são hoje, não esperar mudança pra amar

Essa é aplicável principalmente às pessoas da nossa família, que são aquelas que a gente não tem como fugir. Quando é um amigo ou namorado, se a gente não concorda em como a pessoa é, a tendência é procurar outro que substitua. Mas na família não tem jeito. Sua mãe vai continuar sendo sua mãe, seu pai vai continuar sendo seu pai, seus irmãos vão continuar sendo seus irmãos (etc etc etc) até o fim da sua vida, você gostando disso ou não.
Então nesse caso, não espere que a pessoa melhore, ou não condicione um melhor relacionamento à alguma outra coisa. No dia que meu primo não fizer mais isso, poderemos nos aproximar de novo. NÃAAAAO! E se ele nunca mudar? Pro resto da sua vida não vai mais falar com ele? É isso mesmo?
Eu acredito que nós viemos a esta Terra com a família que tínhamos que vir, que ia dar a medida certinha pra gente desenvolver nossos melhores atributos, mas sem ser insuportável. É isso. Vá lá. O perdão é uma escolha (e é libertador). Abrace seu primo. Se aproxime dele. Ame mesmo que ele tenha um monte de defeitos. A vida é muito curta pra ser desperdiçada com tanta picuinha.

17 – O melhor consolo pro sofrimento é servir

Quando eu perdi meu filho, as pessoas queriam me poupar. Não deixavam eu fazer nada. Eu chegava em um lugar e as pessoas me ofereciam uma cadeira, sempre diziam que eu podia ficar à vontade, não precisava ajudar. A verdade é que cresci aprendendo o valor do trabalho, e me sentia uma inútil. Quanto menos você faz, mais sua cabeça fica livre pra pensar na dor. Por outro lado, se você levanta e faz alguma coisa, não tem muito tempo de pensar naquilo. Não quero dizer com isso que devemos simplesmente seguir a vida e atropelar o sofrimento, fingir que ele não existe, porque essa não é solução pra nada na vida. Mas quando nos sentimos úteis, quando fazemos outra coisa, não nos entregamos à dor. E mais: quando temos a oportunidade de servir outras pessoas e escutar o quanto elas sofrem, muitas vezes nos damos conta que nós somos tão egoístas com nosso sofrimento.
Me lembro de uma vez que tinha brigado com minha mãe em casa (eu ainda era solteira), e algumas horas depois eu tinha combinado com uma amiga de procurar alguns membros da minha igreja que estavam na lista de chamada mas nunca tínhamos visto. Descobrimos que aqueles endereços eram em uma favela perto da nossa casa. Subimos o morro e achamos aquelas pessoas, que moravam em um local muuuuito humilde, chão de terra batida, não tinha banheiro dentro da casa, e não tinha nenhuma comida, mesmo cheio de crianças. Naquele dia eu me senti útil, e naquele dia eu aprendi um pouquinho o que é o sofrimento. Não consigo imaginar uma mãe ver um filho chorando de fome e não ter o que dar pra ele comer. Voltei pra casa e fiz as pazes coma minha mãe. Até hoje não me lembro qual era o motivo da nossa briga.

18 – Saber reconhecer seus limites é uma dádiva

Não sei se eu já contei aqui, mas teve um tempo que eu andava tão sobrecarregada de tarefas que eu apagava. Eu desmaiava mesmo, meu corpo falava Game Over pra mim. Já desmaiei no banheiro do trabalho, na rua… Enfim. Tinha muito medo de andar sozinha porque não sabia aonde eu poderia apagar. Quando fui pra psicóloga ela me explicou que eu estava acumulando mais tarefas do que eu era capaz de suportar. Ela pediu pra eu listar tudo que eu estava envolvida que eram obrigações e tudo que eu estava envolvida que eram catarse (coisas que me faziam relaxar). Descobri que minha lista das obrigações virava a folha, mas as catarses não existiam. Foi quando ela falou pra eu priorizar o que era importante. Não dá pra abraçar o mundo. Ninguém consegue fazer tudo. Temos que saber nossos limites.

19 – Assim como o trabalho enobrece, a pausa reconstitui

Aí vem o complemento da 18. Ninguém vive só de responsabilidade. Momentos de relaxamento não é perda de tempo, é equilíbrio. Minha psicóloga mandava eu repetir: “O que seria da música se não fosse a pausa?”. E é verdade. O que faz o ritmo é a pausa. Sem ela, a música seria uma sucessão de notas sem muita importância ou beleza. Parar e descansar reconstitui nosso emocional e físico. Momentos de prazer nos dão ânimo pra aguentar os momentos de estresse e responsabilidade. Encontrar o equilíbrio é a chave pra uma vida mais tranquila e harmoniosa.

20 – O “não” é preciso

E agora o complemento da 18 e 19. Muitas vezes abraçamos o mundo e não temos tempo pra pausa porque acumulamos muitas coisas pra si por simplesmente não saber dizer não. Quantas vezes as pessoas vieram até mim jogando aquele migué (caraca, isso é gíria do Rio, espero que vocês entendam o sentido rsrs) e eu não consegui recusar!!! Depois ficava me lamentando porque eu tinha pego uma coisa pra fazer que claramente ia enrolar minha vida. E ficava com medo da pessoa se chatear comigo se eu recusasse. Mas a verdade é que precisamos saber até onde podemos ir, e a partir dali, não podemos passar. Aprender a dizer não é um exercício diário. Ninguém fala sim pra mim o tempo todo. Eu tenho que conviver com o não das pessoas e nem por isso deixo de gostar delas. Por que as pessoas não pdoem conviver com meu não de vez em quando? Claro que podem! E mais: elas sobreviverão!

21 – Lutar com afinco é importante, saber a hora de desistir também

E agora lacrarei com a 21… rsrsrs… Lembra quando eu falei na 18 que a psicóloga falou pra eu listar todas as minhas responsabilidades e priorizar? Pra arrumar tempo pra pausa e pro relaxamento, eu precisaria desistir de algumas coisas, porque o dia não ia aumentar de tamanho pr eu encaixar mais coisas. Por isso aprendi que lutar é importante, e saber a hora de me retirar é sabedoria. Não é fracasso. É apenas prioridade. Posso retomar muitas das coisas que resolvi cortar da minha lista em um momento futuro, quando as de hoje já não tiverem mais importância ou tiverem sido concluídas. 😉

22 – A minha aparência não é determinante pro meu estado de espírito

Minha aparência é muito importante pra mim, mas ela não pode determinar se estou feliz ou triste. Isso eu aprendi mas muitas vezes na prática ainda não consigo aplicar completamente na minha vida. Se estou gordinha, se aparece uma espinha, se o vestido não caiu bem, paciência. Tenho que aprender a me amar, apesar do número que a balança me conta. Se quero fazer algo por isso, ótimo, mas não posso ficar triste. Não posso deixar me abater por causa da minha aparência. Tenho que aprender a lutar pela aparência que eu quero, sem ficar triste pelo que sou hoje. Repetindo: tenho que aprender a me amar, apesar do número que a balança me conta.

23 – A cada minuto que passa, sua morte está mais perto

Aprendi com uma grande amiga a ver a vida de uma outra maneira. Contei sobre isso aqui. A cada minuto que passa, estamos mais perto do fim da jornada. A hora de arrependimento é agora. A hora de fazer diferente é agora. A hora de dizer eu te amo praquela pessoa, é agora. Não sabemos se daqui a 5 minutos não estaremos mais aqui, por isso, a hora de fazer alguma coisa, é agora.

24 – Ninguém chega a lugar nenhum sem ralar muito

Eu tenho um pouco de afliceta quando alguém demonstra inveja, desprezo ou despeito por uma pessoa que hoje está bem sucedida. Praquela pessoa chegar onde está, só ela sabe quantos sacrifícios fez. Às vezes temos sorte? Sim. Outras vezes estamos em uma situação que as portas se abrem mais facilmente? Sim também. Mas isso não tira o mérito da luta pra chegar a algum lugar. Cada um tem sua luta, mas todos precisam ralar pra chegar onde querem. E se você pensa no Cristiano Ronaldo que ganha milhões pra chutar uma bola, vai lá ver quantas vezes ele jogou apesar da dor, quantas horas ficou treinando e superando os próprios limites. É um salário exorbitante? Sim, com certeza. Mas cada um tem seus talentos. Foca em você e luta. Não olha pro lado.

25 – Não se irritar e não se ofender é uma escolha

Quando escutei pela primeira vez sobre isso eu achei um absurdo. Mas depois de muito tempo refletindo, eu vi que realmente é verdade. Sabe aquela história de “se um não quer, dois não brigam”? É isso mesmo. A pessoa pode falar ou fazer o que quiser. Mas a escolha de se ofender ou não é sua. Ponto final.

26 – A mulher dita o tom da casa

Wooow! Essa é a mais pura verdade. Se a mulher é briguenta, os filhos serão briguentos e agitados, e o clima da casa será pesado. Se a mãe é amorosa, o clima da casa será acolhedor e as crianças tendem a ser mais calmas. Isso é fato, e eu vejo os exemplos em muitas famílias amigas e mesmo comigo.
Quando a mãe está feliz, parece que toda a casa tem uma aura alegre. Se a mãe está triste, a aura da casa fica assim também. O que uma mulher faz dentro de seu lar reflete diretamente na família toda.

27 – Planejamento e diligência pra alcançar as metas do planejamento fazem você ir muito mais longe

Meta sem planejamento é sonho. Sonhar é lindo, tudo bem. Mas pra meta ser alcançada, é preciso que você seja prática e numere quais os passos que você precisa até alcançar aquilo. Planejar e executar com diligência. Não é fácil, é trabalhoso e muitas vezes doloroso e cansativo, mas vale a pena quando você chega lá.

28 – Às vezes a solução pode estar onde você menos espera

Cara… Quantas vezes me surpreendi por achar uma solução de um problema onde eu nunca teria imaginado. Isso só serve pra me mostrar que quando a gente fica bitolado focando só em uma coisa, a gente empaca. Quando abrimos nossa visão pras coisas à volta, podemos simplificar nossa vida e solucionar os problemas com uma coisa que nunca teríamos imaginado antes.

29 – Você é responsável pela sua vida

A menos que você tenha sido sequestrada e ficado presa por 15 anos num cativeiro subterrâneo como a Kimmy, ou que você estivesse em um relacionamento abusivo onde você não tinha poder sobre o que fazer, não tem muita desculpa. Você traça seu caminho. Se você não está onde queria, não é o que queria ser, não tem o que queria ter, foi você que trabalhou pra isso (ou simplesmente não fez nada pra alcançar). É duro e triste. Ms é verdade. Cada um traça seu caminho.

30 – A felicidade é um estado de espírito

Quantas vezes nós não choramos vendo o Globo Repórter com pessoas sofrendo, doentes, passando por muita dificuldade financeira, e dando uma lição de moral no nosso egoísmo? Nós pensamos: “Nossa! Como ela consegue ser feliz mesmo passando por isso?”. É simples: você escolhe ser feliz hoje, apesar das coisas ruins que acontecem, ou você escolhe ser feliz amanhã quando tudo estiver perfeito. E vão vir muitos amanhãs, e nada nunca estará perfeito. E sua vida terá passado e você terá sempre esperado um amanhã melhor que nunca chegou. Então, baby, ou você aprende a ser feliz hoje focando no que é bom e levando de boa as coisas ruins, ou sua vida vai passar e você nunca terá conseguido ser feliz como merece. A escolha é sua.

É isso. Beijos!

12 hábitos dos casais felizes

Em 18.01.2015   Arquivado em Relacionamento

Observando muitos casais durante a minha vida e aprendendo dentro dos meus relacionamentos, eu consegui ir fazendo uma lista mental das coisas que casais felizes costumam fazer.

Meus avós paternos foram um grande exemplo pra mim, pois só não completaram 50 anos de casados porque faleceram antes. Mas sempre foram muito companheiros um do outro e eu via como eles perseveravam apesar de tantas dificuldades. E eles tinham todos esses 12 hábitos! <3 Vamos lá! O que os casais felizes costumam fazer:

1- Compartilham interesses

É muito chato você estar ao lado de uma pessoa que não gosta de fazer as mesmas coisas que você, não gosta dos mesmos filmes, das mesmas músicas… Casais felizes fazem coisas juntas, se divertem juntos! Não precisam gostar de tudo igual, mas precisam ter coisas em comum.
Aqui em casa procuramos séries de TV que os 2 tenham interesse pra vermos de noite, e adoramos dançar dança de salão (foi assim que ele me conquistou). Quando o casal compartilha interesses tem mais coisas pra conversar também! Então, essa é uma ótima estratégia!

2- Andam de mãos dadas ou perto um do outro

Uma coisa horrível é quando a mulher vai indo na frente e o homem está lá atrás, vendo outra coisa, ou vice-versa. Estar perto do seu par, andar de mãos dadas, significa que a companhia dele é importante pra você, você quer mostrar pra ele coisas interessantes que vê na rua, quer andar conversando com ele. É um hábito simples, mas que faz toda a diferença.

3- Respeitam o espaço do outro

Eu lembro quando era pequena, que meu avô (italiano) adorava colocar valsas e músicas do país dele e sentava no sofá pra chorar de saudade do país natal, ou então ficava dançando sozinho na sala. Era o momento dele.
Por sua vez, quando ele saía pra fazer alguma coisa na rua, minha vó corria e colocava na vitrola o disco do Roberto Carlos pra escutar. Era o momento dela.
Um sabia do momento do outro, e simplesmente deixava isso acontecer, dava espaço pra isso.
Meu avô gostava de ir na feira sozinho, comprar frutas e legumes que ele gostasse. Minha avó queria ir junto, mas ficava em casa porque entendia que ele queria ir sozinho.
Ninguém consegue viver pra sempre com um companheiro que te sufoca, não deixa você fazer as coisas que você gosta de fazer, ou precisa fazer como um escape. Relacionamentos controladores têm prazo de validade. As pessoas precisam de espaço pra fazer coisas que gostam, seja escutar música, seja jogar videogame, seja ir no shopping com as amigas ou futebol com os camaradas. Não tem nada de mal nisso. Ao contrário, isso é bom!!!

4- Têm o dia do casal

Quando você está há muito tempo com uma pessoa, começa aquela famosa rotina. Ter o dia do casal toda sexta-feira, por exemplo, ou toda a primeira quarta-feira do mês, faz com que você sinta que aquele momento é só do casal. É especial porque vocês vão planejando juntos o que fazer e ficam ansiosos esperando por esse momento.
Funciona muito com casais que estão passando por um aperto financeiro e também casais com filhos. Nas 2 situações, os momentos de lazer em casal ficam escassos. Você pode programar com antecedência um roteiro romântico que não gasta muito e dessa maneira registra no coração do parceiro momentos inesquecíveis.

5- Se importam com os sentimentos um do outro

Acho que não tem algo que faça mais uma pessoa sofrer do que não dar importância pra um sofrimento genuíno do seu parceiro. Muitas vezes nas horas que o cônjuge mais precisa de ajuda e você não dá importância, ou diz que é palhaçada ou frescura, é que quebra aquele cristalzinho do amor.
Mesmo que você particularmente não veja tanta importância no que seu parceiro está incomodado ou sofrendo, faça uma forcinha.
Aqueles casais em que um senta pra ouvir o outro atentamente, dá conselhos e consola é um casal que tende a ser mais feliz, pois encontra no outro abrigo.

6- Dão beijo de boa noite

Mesmo que estejam brigados, viu? Rsrs…
Das coisas pequenas e simples que as grandes são executadas. Um beijo de boa noite pode parecer sem importância, mas não é. Significa que você se importa com aquela pessoa, significa que você sente carinho por ela. Demostrações simples e afeto fazem toda a diferença na vida do casal.

7- Não se desrespeitam

Ouvi uma vez um líder na minha igreja dizendo que a única hipótese pra um casal gritar dentro de casa era se estivesse alguma coisa pegando fogo. Na hora eu ri porque achei engraçado, mas depois fiquei refletindo sobre isso. Casais que gritam, xingam, se desrespeitam, estão fadados ao fracasso.
Em toda a minha vida, nunca vi meus avós gritando um com o outro. Claro que deveriam discutir, mas nunca na minha frente. Eles se respeitavam muito. E isso fez o casamento deles ser inesquecível tanto pra eles mesmos, quanto pra mim.

8- Têm confiança um no outro

Ciúme doentio não rola, né? Que sentido tem você estar com uma pessoa que você não confia? Claro que sempre rola aquele ciuminho quando outra mulher vem muito perto do seu marido, isso é normal! Mas quando você tem confiança no seu parceiro, não precisa ficar futucando o celular dele enquanto ele toma banho, por exemplo. A confiança mútua é mais uma das chaves para um relacionamento duradouro e feliz.

9- Dão mais importância às coisas boas

É a história do copo meio cheio ou meio vazio. Só você pode mudar como vê seu casamento. Se você der mais importância às coisas ruins, naturalmente vai dizer que seu casamento anda mal. Mas se você se esforçar por não dar tanta importância às ruins e valorizar as boas, vai ser mais feliz em seu relacionamento.

10- Externam o amor

Quem ama, demonstra. Cada um tem a sua maneira de fazer isso, mas quem ama de verdade, externa isso. Pode ser por palavras, cartinhas, beijos, demonstrações de carinho e afeto, cuidando do outro. Isso é particular de cada casal, mas aqueles que externam o amor sentem o coração mais completo. <3

11- Fazem surpresas românticas durante o dia

Um telefonema pra dizer que está com saudade, uma mensagem de Whatsapp perguntando se está tudo bem, aparecer de surpresa pra almoçar com ela no trabalho. Não precisa mandar entregar flores toda semana no escritório da sua esposa, mas essas pequenas demostrações ajudam muito a manter a chama do amor acesa.

12- Não acumulam mágoas

Conversar é a chave. Se você é daquele tipo que vai guardando tudo até estourar, eu digo, por experiência própria, que isso é péssimo. Não acumular mágoas é um exercício, que a gente vai fazendo ao longo da vida. A gente vai aprendendo e se policiando. Assim que a mágoa surgir, ou o mal entendido, procurar a hora certa pra falar e conversar abertamente. Assim as pequenas coisas se resolvem e não viram uma coisa enorme.

E vocês, já perceberam algum bom hábito dos casais felizes que ajudou você? Quais são os seus hábitos? Estou curiosa!

Beijos e até a próxima.

Página 1 de 6123456