{Nova colaboradora} Amanda Passos

Em 04.08.2016   Arquivado em Vida Conectada

E aí galerinha! Como vocês estão?

Como vocês já devem ter visto no título, hoje nós temos uma novidade: uma nova colaboradora pro blog! O nome dela é Amanda Passos, estudante de Letras da UFRJ e minha amiga há muitos anos.

Ela ama leitura, assim como eu, e vive com um livro pra cima e pra baixo. Essa semana ela leu um livro (não vou contar qual porque vai sair aqui como post) e fez uma resenha. Ao ler o que ela tinha escrito eu gostei bastante e a convidei pra fazer parte do blog. Fiquei muito feliz por ela ter aceitado!!! :)

Então agora oficialmente eu tenho uma ajudante pra deixar as resenhas em dia pra vocês!!!

Como ela lê bastante e tem o espanhol fluente, acho que vai acrescentar muito pra gente. 😉 A princípio ela vai falar só de livros, mas se as coisas derem certo, quem sabe… 😛

Espero que vocês gostem bastante do que ela vai escrever, e sempre podem mandar sugestões de posts pra gente, viu?

Beijinhos!!!

{Livro} Um mais um – Jojo Moyes

Em 22.06.2016   Arquivado em Livros

Ficha Técnica

Título: Um mais um
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580576542
Páginas: 320
Categoria: Romance
Ano: 2015

Sinopse: “Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.

Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?

Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.

Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.”


Minha classificação :

Minha opinião: A princípio, eu não estava interessada nesse livro especificamente. Tinha lido “Como eu era antes de você” e me identifiquei com a autora, por isso quis ler todos os títulos publicados dela. Acabei escolhendo “Um mais um” pela sinopse do livro, que foi bastante interessante.

Jess vive a vida que muitas de nós vivemos. Ela sonhou com uma vida quando adulta, mas se deparou com a realidade bem diferente. Seu marido foi embora e nunca mais voltou, e ela ficou sozinha com dois filhos pra criar. Por ter largado os estudos quando jovem por causa da gravidez, ela não tem a profissão que sempre sonhou. Ao invés disso, trabalha como faxineira com uma amiga, limpando casas de granfinos. E nas horas (não) vagas, trabalha como atendente em um bar pra complementar a renda, que nunca está completa.

Jess e seus filhos vivem no limite da miséria. Deixam de pagar uma conta pra pagar outra. Não têm dinheiro pra nada. Mas ela não quer cobrar Marty pelas pensões atrasadas, afinal, ele não está numa boa fase. Marty havia perdido o emprego e desde então havia tentado várias coisas, e nenhuma dava certo. Coitado, morava com a mãe e estava sendo sustentado por ela. Por isso ela não podia pedir nada nesse momento. Talvez quando ele melhorasse.

Será que essa história soa familiar? Quantas de nós não passamos por isso? Foi exatamente esse contexto de Jess e dos filhos que me pegou de jeito e me fez comprar o livro. E realmente é uma história emocionante.

Embora eu já meio que tenha sacado o final da história nos primeiros capítulos (odeio quando acontece isso) mesmo assim toda a jornada foi maravilhosa. A maneira como Jojo escreve é muito boa, ela deixa uns ganchos que prendem a gente de um jeito que não dá pra parar de ler. E foi exatamente isso que aconteceu comigo!!! Li o livro em 1 dia e meio.

Entrou pra lista dos meus favoritos! Recomendo a leitura!


Alguns trechos do livro:

“Jess Thomas, a mulher que sempre dava um jeito, que passava a vida dizendo às crianças que “ia dar tudo certo”, não estava conseguindo fazer aquilo dar certo.”

“Porque sabia que algo acontecia com uma criança quando a mãe não a abraçava nem lhe dizia o tempo todo que ela era a melhor coisa do mundo (…). Porque, ainda que um filho leve pedrada do mundo inteiro, se ele tiver o apoio da mãe, ficará bem. Lá no fundo, saberá que é amado.”

“A lei da probabilidade combinada com a lei dos grandes números estabelece que, para vencer as dificuldades, de vez em quando temos que repetir algumas vezes um acontecimento para conseguir o resultado almejado. Quanto mais se faz, mais perto se chega. Ou como explico para minha mãe, às vezes, basicamente, só precisamos insistir.”

“As escolhas que você fizer agora vão determinar o resto da sua vida.”

“Quando a pessoa dá duro para chegar a um lugar, é muito bom mostrar aos outros de onde ela é.”

{Livro} Tá todo mundo mal – Jout Jout

Em 11.06.2016   Arquivado em Livros

Ficha Técnica

Título: Tá todo mundo mal – O livro das crises
Autor: Jout Jout
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535927207
Páginas: 200
Categoria: Auto-ajuda
Ano: 2016

Sinopse: “Do alto de seus 25 anos, Julia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, já passou por todo tipo de crise. De achar que seus peitos eram pequenos demais a não saber que carreira seguir. Em Tá todo mundo mal, ela reuniu as suas “melhores” angústias em textos tão divertidos e inspirados quanto os vídeos de seu canal no YouTube, “Jout Jout, Prazer”. Família, aparência, inseguranças, relacionamentos amorosos, trabalho, onde morar e o que fazer com os sushis que sobraram no prato são algumas das questões que ela levanta. Além de nos identificarmos, Jout Jout sabe como nos fazer sentir melhor, pois nada como ouvir sobre crises alheias para aliviar as nossas próprias!”


Minha classificação :

Minha opinião: Que eu sou fã de carteirinha da Jout Jout todo mundo já sabe (eu acho). Então quando eu soube que ela ia lançar um livro, já encomendei o meu na pré-venda. Sinceramente não sou de fazer isso não, não tenho essa necessidade de ler livro antes de todo mundo, sempre espero baixar o preço pra poder comprar. Mas nesse caso não tinha como.

Assim que meu livro chegou, já abri o pacote do Correio e enfiei na bolsa. Li em um dia, e só não li em uma tarde porque eu infelizmente não podia parar minha vida pra deitar na cama e ler naquele momento. Mas cá estamos nós já fazendo resenha pra vocês. 😉

Pra começar, o livro é pequeno. São apenas 200 páginas, e mesmo assim, a diagramação ajudou o livro a chegar em 200, porque a primeira folha de cada crise é preta e com letras enormes. Se fosse uma diagramação mais tradicional, o livro teria umas 100 páginas.

O livro não é de ficção. Na verdade aqui no blog eu categorizei de auto-ajuda, porque ela vai contando todas as crises que ela teve em pequenos textos, como se fosse um post de um blog. E cada crise ela vai meio que desmistificando a coisa toda, tentando passar pra gente “como ela foi ridícula” ou “como ela fez tempestade num copo d’água”. Ela conta histórias de toda a vida dela, desde a infância, e é claro que você vai se identificar com muitas. Eu me identifiquei com a maioria, e percebi que na verdade não estou só nesse mundo doido cheio de crises que minha cabeça cria. E daí vem o nome: tá todo mundo mal. Tá todo mundo mal mesmo!!! A gente acha que a grama do vizinho é mais verde, mas na verdade todo mundo tá no mesmo bolo. Rs…

E claro, tem prefácio de Caião, que já me fez chorar de cara. (Toda mulher merecia um Caião em sua vida!)

Super recomendo a leitura, e claro, entrou na minha lista de livros queridinhos! <3


Alguns trechos do livro:

“Já passei dias sentada na frente do computador com o currículo bonitinho na minha frente, louca pra arranjar um emprego. Mas pra onde mandar? Eu perguntava a uns amigos se eles poderiam ficar de olho em alguma vaga pra mim e eles me perguntavam: ‘Mas em que área você quer?’ Não faço a menor ideia. Quanto mais procurava empregos, mais assistia a séries.” (Pág. 74)

“Nada mais reconfortante para quem está numa crise do que saber das crises dos outros e ficar medindo em silêncio sobre se a deles é pior ou mais branda que a nossa própria. Então aqui estou. Enumerando gentilmente meus piores momentos. Para você avaliar se os seus foram um pouquinho melhores e ter um sono mais tranquilo.” (Pág. 17)

“A gente, ingenuamente, pensa que, quando conseguimos algo que queremos muitos (ou imaginamos querer muito), tudo se encaixa e será bonito e colorido. Não é bem assim. Um filme que gosto muito já diz que: se ganharmos na loteria, continuaremos sendo as mesmas pessoas, só que alguns carros e iates a mais. Se somos chatos, inseguros e mesquinhos, continuaremos da mesma forma.” (Pág. 12)

“Quando fui ver, estava apaixonada por essa versão de mim que ele fazia vir à tona. Me apaixonei por um sujeito que fez com que eu me apaixonasse por mim mesma. Profundo pra caralho.” (Pág. 40)

Angry Birds – O Filme

Em 26.05.2016   Arquivado em Filmes

[CONTÉM SPOILERS]

Oi galerinha! como vocês estão?

Essa semana eu fui ao cinema com o Rodriguinho, principalmente porque ele ficou tanto tempo doente no hospital que queria fazer um programa mais divertido. Como ele é pequeno (tem 2 anos) a programação dele na TV gira mais em torno do Discovery Kids, mas como era um filme de passarinhos achei que seria uma boa ideia.

Compramos a pipoquinha e fomos pro cinema, que estava cheio de meninos da idade dele e mais velhos. Logo no começo do filme o Red, pássaro principal, chega atrasado para animar um chocaversário (aniversário de passarinho). Como ele chegou no final da festa e não animou nada, o cliente falou que não pagaria. Em vez dele aceitar que realmente não animou a festa e por isso não receberia o dinheiro, ele ficou com raiva, jogou o bolo na cara do cliente, destruiu a festa. Todas as crianças do cinema morreram de rir!! Minha implicância já começou aqui.

Red foi mandado pra cumprir pena máxima por ter feito aquilo, fazendo tratamento de controle de raiva, mas o filme mostrava o tempo todo que cumprir o tratamento era chato e monótono. As crianças riam e gostavam quando ele tinha um descontrole emocional e quebrava tudo.

Pois bem, o filme continua e os porquinhos verdes roubam os ovos dos pássaros. Os pássaros ficam tristes chorando sem saber o que fazer. Qual a solução do Red para esse problema? Ele diz que ficar calmo pra resolver um problema não leva a nada. O bom é todo mundo ter raiva, incita a raiva nos pássaros, todo mundo fica com raiva, destrói tudo, pega os ovos e volta. Red é ovacionado por toda a população de passarinhos. Fim do filme.

Alguém devolve meu dinheiro por favor? Juro que eu acreditei que no final teria alguma lição sobre a raiva, sobre não sair batendo na cara de todo mundo pra resolver os problemas. Mas o filme realmente terminou e eu fiquei com cara de babaca sentada na poltrona esperando os créditos na esperança de ainda ter alguma coisa. Em vão.

Única coisa boa do filme: trilha sonora, que vai de Black Sabbath (com Rodrigo dançando que nem rockeiro) a Gloria Gaynor.

Meu conselho: não leve seu filho para ver esse filme, a não ser que você ache legal seu filho quebrar a cara de todo mundo pra resolver um problema.

Página 4 de 151 ...12345678... 15Próximo